Jovem Pan Online - RSS

terça-feira, 27 de agosto de 2013

Técnico do União Suzano "inventa" retranca do Assisense

Cláudio Messias*

Cada um assiste a um jogo a partir de uma ótica, um ponto de vista. Mas, não dá para inventar no universo do futebol. É essa minha definição às declarações do técnico Josias de Oliveira publicadas no site oficial da Federação Paulista de Futebol. Segundo o treinador/inventor, as ações de seu time foram dificultadas pela retranca do Assisense, que teria fechado taticamente após o primeiro gol e, assim, inviabilizado as ações do visitante de Suzano.

Derrubo os argumentos de Josias de Oliveira com estatísticas. Vamos a elas. O Assisense deu mais chutes a gol do que o União Suzano nos 90 minutos de jogo (a bola rolou somente 50 minutos). Foram 5 tentativas reais de balançar as redes da parte do Assisense contra 4 do time de Suzano. Na prática, formalmente, o time de Assis balançou as redes duas vezes, aos 16 minutos do primeiro tempo, com Kairo, e aos 13 minutos da etapa complementar, na cobrança de penalidade por Jaílton. O Suzano ficou só nas 4 tentativas, ainda assim sem levar perigo ao gol de Carlão.

Considero escanteio um parâmetro que determina a eficácia de uma equipe na tentativa de chegar ao gol adversário. Raramente vejo um time com poucos escanteios, em quantia inferior à do adversário, sair vencedor. As exceções, convenhamos, são aqueles jogos de 1 a 0, com gol acidental e resultado geralmente classificado como zebra. Via de regra, volume maior de escanteios significa presença predominante no campo do adversário, ou seja, pressão na busca pelo gol. O que isso tem a ver com o jogo Assisense 2x0 União Suzano? Tudo a ver, pois o time de Assis teve, domingo, três escanteios e o adversário, apenas 1.

No mundo das hipóteses, enquanto Josias de Oliveira dá entrevista a quem não viu o jogo de domingo e, portanto, tem de acreditar nas palavras do entrevistado, a realidade mostrada pelas possibilidades é outra. Esquece-se o treinador de Suzano que o placar poderia ter sido de 4 a 0 para o time de Assis, pois logo a 1 minuto e 15 segundos a fraca zaga de seu time meteu a mão na bola e impediu que Jaílton abrisse o que seria uma goleada legítima, pois aos 43 minutos do mesmo primeiro tempo a falta sofrida por Kairo aconteceu dentro da grande área e não sobre a linha, como assinalado pelo árbitro Renato Canadinho.

Meus amigos da assessoria de imprensa da Federação Paulista de Futebol que me desculpem, mas besteiras como as protagonizadas na fala do treinador do União Suzano pedem, antes da publicação, um consulta ao outro lado, como reza a cartilha do bom jornalismo. Aqui, em Assis, quem assistiu à partida viu outro jogo. Todos assistimos, sim, um bom União Suzano, que em momento algum se acovardou no jogo. Mas, daí a falar que o Assisense jogou na retranca e deu chutões pra frente é demais para a nossa paciência de cronistas esportivos. O que vimos, sim, foi uma zaga adversária muito ruim domingo, nada condizente à campanha do União Suzano. Primeiro corrija a zaga, depois se dê ao direito de falar besteira de que seu time teve mais posse de bola aqui no Tonicão. Aqui, desde o início do campeonato, todos os favoritos caíram. O último deles é o União.


Imagem: Reprodução/www.futebolpaulista.com.br
No destaque, as declarações do técnico Josias de Oliveira


* Professor universitário, historiador e jornalista, é mestre em Ciências da Comunicação pela ECA/USP.

Um comentário :

Nespolo disse...

Cada um fala a bobagem que quer, isso e descupinha,de treinador que veio aqui e tomou um "vareio" de bola com direito a olé, e que se não fosse o juiz que por sinal e mt fraco,tinha saindo daqui tomando de 4 pra mais, pois perdemos um gol na cara do gol e pênaltis não dados...A historia e a seguinte eles vieram aqui subestimando o time de assis, e tomaram um sacode bonito