Jovem Pan Online - RSS

domingo, 18 de agosto de 2013

A apatia do Assisense em rede nacional

Cláudio Messias*

O entusiasmo que construí sobre o Assisense naquele jogo contra o Diadema desmoronou nesse confronto em Fernandópolis. Podíamos, sim, ter empatado e garantido a classificação. Ou até mesmo perdido o jogo, pois a combinação de resultados continuou a nosso favor e estaríamos de qualquer forma na terceira fase. Mas, não. Fomos covardes. Não atacamos o Fefecê e em momento algum fomos ameaçados no jogo de encerramento da segunda fase. Foco, a partir de agora, o futebol de Assis para 2014. Pra mim, o Assisense 2013 parou hoje. Deu as mãos ao Taboão

Sou pessimista pensando assim? Tudo bem, admito. O que aponto são os elementos que dão sustentação ao prenúncio de que vem frustração pela frente. Já havia achado amador, sem-noção, sacar o goleiro Carlão em um jogo decisivo contra o Taboão, fazer teste de idade e quase jogar tudo para os altos, quarta-feira passada. Time que tem planejamento, gestão, não comete uma gafe daquela. Não tivesse Jaílton o brilho nas pernas que Felipão vê em Bernard e o golaço de bicicleta teria-nos custado a eliminação. Empataríamos com o Taboão, somaríamos 6 pontos e, hoje, em Fernandópolis, teríamos chegado aos insuficientes 7 pontos. Será que estou tão errado assim ou Carlão voltou ao gol do Assisense nesse domingo? Tivesse eu errado e Wandinho seria o guardador de metas frente ao Fefecê.

Garantir o empate em Fernandópolis, eu não tinhas dúvidas, seria a especialidade desse técnico Venâncio. Um comandante que retranca time em vitórias parciais, não ousa incomodar o adversário, fora de casa, nos 45 minutos finais. E que hoje, ao seu legítimo estilo, tirou Jaílton e Kairo. Não queria, claro, ganhar o jogo. Saiu de Fernandópolis com moral com a diretoria do Fefecê, pois honrou o protocolo. Ignorou que o mesmo Fernandópolis veio aqui, no primeiro turno, e queria a vitória. Deve, sim, Venâncio, continuar no comando. Não é hora de mudar. É hora de ver onde o trabalho vai chegar.

O péssimo jogo Fernandópolis 0x0 Assisense passava na tela da Rede Vida e o placar online da Federação Paulista de futebol não parava de mostrar gols em todos os demais 11 jogos disputados simultaneamente. E sabe por que os jogos são realizados no mesmo horário? Para não haver combinação de resultados. Vã tentativa, conforme pôde ser comprovado pelo árbitro Rodrigo Guarizo, padrão Fifa, que não viu um lance sequer de perigo ser protagonizado pelas duas equipes no estádio "Cláudio Rodante". Posso estar enganado, mas parece que não houve um impedimento de ataque nos 90 minutos.

Foram 12 jogos. Em onze deles saíram gols. Só Assisense e Fernandópolis não tiveram essa competência. Dos 24 times que entraram em campo, até mesmo os confrontos que envolviam já eliminados balançaram as redes. Menos Assisense. e Fernandópolis. Cito o exemplo do nosso próprio grupo. O já eliminado Taboão estava vencendo o líder Diadema, em casa, e sofreu a virada. Diadema que, eu já disse, é candidato ao título, e Taboão que na minha opinião também já expressada é melhor que o Fernandópolis. Merecia, o Taboão, estar na terceira fase, pelo futebol leve e rápido que demonstrou aqui no Tonicão.

Muita gente vai lembrar que comparando a forma como nos classificamos na primeira fase e a folga de fechar a segunda fase como segundo colocado do grupo temos motivos para comemorar, agora, a classificação, mesmo com empate. Eu não vejo assim. Só sofremos para classificar na primeira fase porque fomos os únicos a perder para o péssimo Presidente Prudente, além de ter cedido empate ao Osvaldo Cruz (veja no nosso histórico quantos empates cedemos à base da retranca do técnico Venâncio). E hoje, vencendo o Fernandópolis, podíamos assumir a liderança do grupo e, assim, gozar de privilégios de mando na próxima fase (vale lembrar que até os 40  minutos finais o Taboão empatava com o Diadema).

O Inter de Bebedouro é um time a ser batido nessa Segundona e é meu segundo parâmetro sobre a vergonhosa atuação de Fernandópolis x Assisense hoje pela manhã. O time de Bebedouro foi a Prudente classificado, jogou com os titulares e a todo momento esteve à frente do placar. Abriu 2 a 0, tomou o empate e ampliou para 3 a 2. Eliminou o Grêmio Prudente nos domínios do adversário, continua invicto e bota medo em quem for enfrentá-lo na terceira fase. É dessa magia a que me refiro. Futebol, pra mim, é vontade de vencer. Dane-se que o adversário, perdendo, estará fora. Vencer o Fernandópolis, hoje, seria honrar o compromisso que cada empresa depositou no Assisense para o ano de 2013. Ninguém investe em um time pensando que ele pode não chegar. Investe querendo que ele chegue. Privilegiados são os investidores que colocaram dinheiro na Inter de Bebedouro, ou mesmo os que apoiaram o Taboão, o último colocado de nosso grupo, que perdeu para o líder Diadema mas mesmo assim foi pra cima. Investir em time assim dá gosto, mesmo que o projeto não chegue ao fim.

Como torcedor eu tiro meu time fora de campo. Esse vergonhoso jogo de hoje foi, como dizem os jovens, "corta-brisa". Perdi a graça. Aprendi, com a vida, que proximidade com diretores, comissão técnica e com a equipe rende, depois, desapontamentos e decepções em momentos em que a verdade precisa ser dita. Tornar essa relação passional, definitivamente, não dá certo. Meu parâmetro é a temporada de 2004. Não conheço pessoalmente os diretores do Assisense, da comissão técnica há nomes de meu círculo de amizade em um passado muito anterior a 2013 e no elenco não conheço ninguém. Não por acaso, em meus textos publicados cá não cito escalações completas, muito menos nas estatísticas formais de cada jogo. Há quem o faça, e bem, nesse sentido. Minha distância foi estratégica porque desde o início optei por esperar para ver. Ver no que daria. Hoje, vi. E não gostei. Vi que empolguei por nada.

Dezesseis clubes avançam para a terceira fase, que tem jogo já no próximo domingo. Como segundo colocado do grupo 9 o Assisense deve estrear fora, de maneira que faça a despedida da fase contra o mesmo adversário, só que no Tonicão. A ordem dos confrontos será conhecida amanhã, depois de reunião na Federação Paulista de Futebol. Depois do que vimos hoje, sabemos, esse negócio de decidir último jogo em casa não significa nada. Não é mesmo, Fernandópolis? Que o digam aqueles torcedores que honrosamente viraram a faixa da torcida organizada do Fefecê de cabeça para baixo, em protesto, e mostraram isso para todo o Brasil.

Não torço contra o Assisense, pois o time leva o nome de minha cidade. Apenas não irei torcer, nem cobrir. Ir ao estádio é algo que faço desde os primórdios de minha adolescência. Não deixarei de ir ao Tonicão, obviamente. Seria contraditório a alguém que na falta de futebol em Assis ia a Paraguaçu Paulista ver a Paraguaçuense. Gosto dessa rotina de jogos, nem que seja do amadorzão. Só que como futeboleiro gosto de futebol. E o que vi hoje em Fernandópolis eu não defino como futebol. O Assisense deve um pedido público de desculpas. Não a mim, que sou isolado torcedor. Mas à cidade e ao universo do futebol.


Caso a vaga para a Série A-3 venha, ótimo. Como disse parágrafos atrás, miro minha paixão de torcedor fanático para a temporada 2014. Lá, com certeza, caso o Assisense classifique, o time será outro, assim como o comando técnico. Afinal, o técnico Venâncio deverá receber uma boa proposta para comandar alguma equipe na Segundona do ano que vem. De repente, o próprio Fernandópolis de hoje. Digo isso porque disputar a Série A-3 com pensamento de Segundona, como em 2013, é querer voltar de divisão em 2015.

Faço, publicamente, meu pedido de desculpas aos amigos jornalistas com quem interagi, nessas últimas semanas, trocando informações sobre a Segundona. Estou encerrando minha cobertura no Blog e esperando 2014 desde já e os deixo sem algumas informações, mesmo que superficiais.

Se o pior cego é aquele que não quer enxergar, o pior derrotado é aquele que abre mão da vitória.

*Professor universitário, historiador e jornalista, é mestre em Ciências da Comunicação pela ECA/USP.

Um comentário :

Anônimo disse...

Cara para de criticar, o que você tem feito pelo Falcão? Ficar falando sentado na poltrona é muito fácil.
E antes de criticar, pelo menos, saiba o que está falando. Por exemplo, você falou que TODOS os jogos de ontem saíram gol, será mesmo que saiu? Você olhou o jogo entre Cotia e Atibaia?
Você queria que o Assisense saísse igual louco para o ataque e corresse o risco de perder o jogo? Sinceramente, já estava acompanhando o seu blog, e você, além de não saber nada de futebol, é um torcedor muito chato e que só sabe criticar.
O seu blog hoje, deveria estar exaltando a bela campanha realizada pelo Assisense, o esforço quase sobre humano realizado pelos atletas e não ficar criticando um empate não qual favorecia ambos os times.
Depois ninguém sabe porque o Assisense não se classifica, porque ao invés de ajudar e se alegrar com as conquistas, sempre existe algum babaca para reparar em algo que não vale a pena.
Pense melhor se você tem feito algo de bom para o clube, se for para escrever besteira, não escreva nada e deleta essa porcaria de blog.