Jovem Pan Online - RSS

quarta-feira, 14 de agosto de 2013

EU, DA ARQUIBANCADA - Personagens de Assisense 2 x 1 Taboão

Apoio ao Falcão do Vale vem de todas as partes; até no som!

Marcos Paiva, o homem que trocou o microfone de 
rádio pela viola, comandou o som ambiente

O Taboão vai precisar aprender mais coisas para tentar avançar 
em 2014: entrar em campo e cumprimentar a torcida adversária não é 
demonstração de humildade; é comprovação de educação. Deu as costas na entrada...

O trio de caneta-marca-texto, ou melhor, de arbitragem eu defino como 
razoável. Árbitro molenga, que fala mais que pastor dando conselho. Mérito, 
contudo, no diálogo com o auxiliar, que resultou na justa expulsão do zagueiro do Taboão

Marinho foi goleiro do Vocem nos áureos tempos de 1980, com passagem
 pelo gol do São Paulo F.C. e pelo Exterior. Estava no Falcão do Vale do 
"quase A-3" de 2004 e deve ter sofrido demais com a decisão de sacar 
Carlão e colocar Wandinho.

Nestário Luiz é um competente jornalista esportivo que acompanha de perto a rotina do Assisense.

A rádio Interativa FM, que ainda não igualou em qualidade a Cultura 2 FM, 
mandou viatura ao jogo; da próxima vez, mande narrador, repórter 
e técnico para transmitir o jogo e, aí sim, substituir à altura a 
equipe que desempregou na cidade.

O neurologista Luiz Zanini substituiu André Gava como médico 
de plantão no jogo. Chegou 5 minutos atrasado, tempo que o árbitro 
demorou para iniciar a partida.

O goleiro Wandinho não tem culpa da fria em que o meteram 
na nada inteligente decisão de jogar com a idade dos jogadores. Precisa, porém, se 
dar conta de quem não faz sombra para Carlão.

Venâncio, após o segundo gol, começou a chamar os jogadores à
 beira do gramado. Retranca custou sustos até o final.

O Auxiliar 2 chama o árbitro no lance em que comunicou a agressão, 
sem bola, ao atacante Jaílton, do Assisense. Zagueiro do Taboão foi expulso em seguida.

Trinta minutos do primeiro tempo e o tradicional grupo da entrada 
assiste ao jogo à distância. Na arquibancada, o comentário era de que se 
tratavam de fiscais da Prefeitura, temendo encontrar os chefes lá embaixo. Brincadeira, claro.

O público surpreendeu e compareceu em maior número se comparado ao jogo de domingo passado, contra o Diadema: mais de 800 pagantes.

Esse foi o último momento em que gandula e reservas do Taboão puderam ficar próximos. "Cera" do funcionário do Assisense rendeu uma senhora confusão nos minutos finais.

Esse guri não estava nem um pouco afim de ver a confusão entre gandula e 
comissão técnica e reservas do Taboão...

Equipe de reportagens da TV Fema, cobrindo o jogo.

Fim de jogo, festa em campo e a alegria de avançar para a terceira
 fase sem sustos. Taboão, dessa vez, podia sair de costas, com tranquilidade...

Nenhum comentário :