Jovem Pan Online - RSS

segunda-feira, 13 de julho de 2015

ANÁLISE - Onze pontos em 5 jogos: eis o desafio para chegar à Segunda Fase

Cláudio Messias*

Cada final de semana tem representado uma remada para que cada um dos 30 clubes que disputam a Segundona 2015 se aproximem ou distanciem do objetivo de chegar à Série A-3 de 2016. Já há, hoje, agremiações que por mais remem, não chegarão a lugar algum. São dez os clubes nessas condições.

A parte de cima das três tabelas de classificação continua mostrando que há 10 clubes em condições de brigar pelas quatro vagas na Série A-3. Fica, portanto, um grupo intermediário composto por outras 10 equipes, que precisam melhorar o desempenho para, daqui a cinco rodadas, entrar nos respectivos G-4 de cada um dos três grupos da Primeira Fase.

Serão 12 os clubes que avançarão para a Segunda Fase. A Classificação Geral organizada pelo Blog serve, apenas, de parâmetro para que, rodada após rodada, sejam comparadas as campanhas e conhecidos os clubes com desempenho que justifique favoritismo ou não para a classificação. E, é bom que se ressalte, nem sempre um clube que está no G-12 consegue sustentar-se regularmente ali. Exemplo claro é a Portuguesa Santista, que já brigou como uma das melhores campanhas dessa Segundona e, em duas semanas, despencou da décima segunda colocação e, hoje, tem somente o 18.o desempenho.

O Grêmio Prudente recuperou a condição de melhor campanha da Segundona. O clube de Presidente Prudente ocupou esse posto até a oitava rodada, a partir de quando o Olímpia manteve melhor regularidade de desempenho entre os 30 clubes participantes. No final de semana passado, com o empate entre Olímpia x São Carlos (1x1), o Grêmio saltou para 29 pontos e abriu um ponto em relação ao São Bernardo e dois pontos na comparação de campanhas com Olímpia e São Carlos.

Comendo pelas beiradas vem a Inter de Bebedouro. O clube engatou marcha de alta velocidade na metade do primeiro turno, consolidou-se, domingo, na terceira colocação do Grupo 2 e está na cola de Olímpia e São Carlos. Inter, hoje, é o quinto melhor clube em produção na Segundona e bate recorde atrás de recorde de público no estádio Sócrates Stamato. Como o blogueiro tem advertido há mais de um mês, eis, aí, um clube em condições estruturais, de gestão, para chegar à Série A-3 do ano que vem. Olho na Inter.

Com duas goleadas em uma semana o Atlético Assisense saiu da condição de coadjuvante e assumiu protagonismo na temporada. O clube de Assis tem, junto com o Grêmio Prudente, o melhor ataque do certame, com 29 gols marcados. Mas, tem a seu favor o fato de ter sofrido menos gols e, assim, apresentar o melhor saldo de gols entre os 30 participantes da Segundona: 16 tentos. Falcão do Vale vice-líder do Grupo 1 e dono da sexta melhor campanha do torneio, a quatro pontos do Grêmio Prudente.

Também de Assis, o Vocem comprova, na Classificação Geral, estar em condições de brigar por uma das vagas do Grupo 1 na Segunda Fase. O Esquadrão da Fé é quinto colocado na chave, mas tem a décima segunda melhor campanha. Ou seja, está no G-12 e deve travar uma acirrada batalha principalmente com o Fernandópolis para saber quem fica com a quarta vaga do grupo. Vocem que na rodada 6 era o melhor time da Segundona e, desde então, coincidindo com as derrotas para Grêmio Prudente (2x0) e no derby com o Atlético Assisense (2x0), caiu vertiginosamente de produção.

As incógnitas, hoje, respondem pelos nomes de Suzano, Olé Brasil, Mauaense e Manthiqueira. Esse último saiu da parte inferior da tabela, arrancou uma série de vitórias e hoje está colado no G-12, mesmo ocupando a terceira colocação do Grupo 3. São as circunstâncias que tornam aquela chave a mais equilibrada da Segundona 2015, uma vez que somente três pontos separam o Manthiqueira da Portuguesa Santista, atual sexta colocada na chave, com 16 pontos.

Cada equipe terá, a partir do próximo final de semana, cinco jogos a disputar, antes do início da Segunda Fase. A tendência é que a rotatividade de ocupantes do G-12 pouco alterne, confirmando uma tendência de desempenhos observada há pelo menos 7 rodadas. Como é tradição nas análises do blogueiro, aqui não há possibilidade de ficar em cima do muro. O cálculo é que, dos 15 pontos possíveis, cada um dos 12 'classificáveis' precise contabilizar 10 pontos para, assim, carimbar o passaporte para a Segunda Fase. Ou seja, três vitórias e ao menos um empate para, ainda assim, passar sufoco cruzando critérios de desempate previstos no Regulamento do torneio. Seguro, mesmo, estará quem somar 11 pontos daqui por diante. Importante, pois, é não sofrer derrotas (no plural).

Estatísticas - Fechada a décima terceira rodada, alguns clubes da Segundona consolidam-se com as famas que suas campanhas proporcionam. O Tanabi, por exemplo, é o Rei da Pancadaria, como puderam comprovar, domingo, no Tonicão, os torcedores que foram assistir ao empate que, do Vocem, ajudou a derrubar o técnico Sérgio Caetano. Tanabi cometeu, em 13 jogos, 238 faltas. O clube menos faltoso, ente os 30 participantes, é o Palmeirinha, com 169 infrações.

Os clubes que mais balançaram as redes adversárias até aqui são, como informado em parágrafo anterior, nessa postagem, Grêmio Prudente e Atlético Assisense, com 29 gols marcados cada. O Falcão do Vale detém o melhor saldo de gols do torneio: 16. O pior ataque é o do Bandeirante, que comemorou somente 6 gols. Já a pior defesa é a do ECUS, também conhecido como União Suzano, cujos goleiros buscaram bolas no fundo das redes 33 vezes, proporcionando saldo negativo de 25 tentos, ainda assim melhor que o do Bandeirante, que soma 26 gols negativos de saldo.

Suzano e Guarulhos, do Grupo 3, são as agremiações que mais cartões amarelos receberam: 47. Já o clube com mais atletas expulsos é o Olé Brasil, do Grupo 2, que soma 7 cartões vermelhos. Noroeste e São Bernardo são, nesse aspecto, mais comportados, apresentando, cada um, somente uma expulsão até aqui. O São Carlos é a agremiação com menor número de cartões amarelos: 24.

Aguiar, meia-atacante do Atlético Assisense, é o artilheiro isolado da Segundona 2015. Com os dois gols assinalados domingo, na goleada sobre o Osvaldo Cruz (6x1), ele totaliza 10 gols marcados, um a mais que Eduardo, do Grêmio Prudente. Ricardinho, da Portuguesa Santista, e Viola, do Taboão da Serra, não balançaram as redes adversárias no final de semana passado e estacionaram nos 8 tentos.


* Professor universitário, historiador e jornalista, é mestre e doutorando em Ciências da Comunicação pela ECA-USP.


Nenhum comentário :