Jovem Pan Online - RSS

quarta-feira, 28 de maio de 2014

Patrocinador máster separa joio do trigo no Atlético Assisense

Cláudio Messias*

A situação está difícil - eu diria impossível - para reversão da não classificação do Atlético Assisense para a Segunda Fase da Segunda Divisão do Campeonato Paulista 2014. Em meio a esse caos, porém, ainda sobram especulações, como é peculiar em Assis, a Sucupira do Vale. Tudo bem, agora é público que o pagamento dos salários de maio não foram feitos no dia 20, como programado, mas daí a haver quebras de contrato com patrocinadores, a história é outra.

O patrocinador máster do Falcão do Vale na temporada 2014 é a Multi-Ar, empresa do grupo Gelo-Som, de meu amigo Tiziano. Não, não dialoguei com o empresário desde a formalização dessa parceria. Mas, o conheço o suficiente para saber que tem caráter e visão empresarial em todas as suas ações. Não por acaso, tem Neto, ex-jogador e comentarista e apresentador do Grupo Bandeirantes de Televisão, como garoto propaganda. Patrocinar o Atlético Assisense, pois, foi investir em um nicho mercadológico que está dando certo. O clube escolhido foi o Falcão do Vale, por seu histórico recente de 13 temporadas consecutivas na disputa do Campeonato Paulista, fato inédito e histórico em Assis.

Nessa quarta-feira, 28 de maio, foi necessário que a Multi-Ar viesse a público para formalizar esclarecimentos. A boca maldita, que prevale em Assis nos seus mais de 100 anos de história, lançou boatos nada condizentes ao perfil histórico de Tiziano e seus familiares. Rompimento com o Atlético Assisense por conta do magro 1x0 do derby contra o Vocem, domingo passado, não faria a empresa faltar com a palavra. Não faria e não fez. Até porque, está 1x1 no confronto entre os dois times da cidade, e com o Falcão do Vale sobrando como melhor time no comparativo entre as agremiações nos confrontos de maio e de domingo passado.

Mas, o esclarecimento da Multi-Ar em nada tem a ver com quem foi melhor ou pior nos dois derbys. A patrocinadora máster do  Atlético Assisense emitiu nota em que garante continuar com os compromissos financeiros com o clube até que seja encerrada sua participação na Segunda Divisão. Ou seja, se houver classificação para a Segunda Fase do torneio - o que é improvável -, lá estará o aporte financeiro necessário, dentro do que foi acordado em contrato. Se isso vai significar que a diretoria do clube fará uso dos recursos para acertar sua situação financeira, aí já será outra história.

A nota de Tiziano deixa claro que não há interferência do patrocinador na gestão do Atlético Assisense. O que a diretoria do clube faz, portanto, foge daquilo que a Multi-Ar estabelece como parâmetro de gestão. Uma coisa, pois, são os problemas com jogadores, tornados públicos desde segunda-feira. Outra coisa, bem diferente, é o posicionamento do patrocinador principal, que separa o que é ação de marketing do que são os resultados obtidos através de parte daquilo que é repassado como apoio financeiro. A contratação do técnico Tupãzinho, por exemplo, foi ação de marketing. Mas, as derrotas pós-contratação de Tupãzinho não entram nessa ação de marketing.

No domingo, após a derrota para o Vocem que quase sacramentou a eliminação do Atlético Assisense já na Primeira Fase, o presidente Carlos Antunes do Rosário, o Boi, debateu com torcedores nas redes sociais. De acordo com o dirigente, em diálogo comigo nas mesmas redes sociais, há, sim, problemas financeiros, e sérios, envolvendo pagamentos. Mas, em nada relacionados ao repasse de recursos feito pelos patrocinadores. Boi referiu-se a dificuldades com algumas das empresas parceiras, sem citar nomes. Com a nota de esclarecimento dessa quarta, 28 de maio, parece-me que estaria tudo em ordem com a Multi-Ar.

É fato, desde já, que somente um milagre coloca o Atlético Assisense na Segunda Fase. O clube precisa somar duas vitórias, sendo uma em Birigui, contra o Bandeirante, nessa nona rodada do próximo final de semana, e ainda aplicar uma sonora goleada no Presidente Prudente, na última rodada, daqui a 10 dias. Nesse ínterim, precisa que o Osvaldo Cruz não some pontos nas partidas que tem pela frente nessas duas últimas rodadas, de maneira a garantir, o Falcão do Vale, a quarta colocação do grupo 1. O problema é que já há dois melhores quartos colocados em outros grupos, entre as 7 chaves em disputa, somando mais de 13 pontos, que é o máximo que o time de Assis consegue obter nessa fase. Ou seja, é preciso torcer contra Osvaldo Cruz, Presidente Prudente e contra os clubes de 4 grupos, para que não sejam melhores quartos colocados com mais de 13 pontos.

Site da FPF - A equipe gestora de Tecnologia da Informação da Federação Paulista de Futebol está, desde ontem, aplicando alterações na plataforma digital do site da instituição. Com isso, os dados da rodada do final de semana passado do Campeonato Paulista, Segunda Divisão, estão desatualizados (as informações correspondem à sétima rodada). Isso dificulta que aqui, no Bog, eu lance os dados atualizados do ranking das bilheterias e a classificação geral de todos os 39 clubes que disputam  a Segundona.

Igualmente, continuo no aguardo de uma confirmação sobre o caso da denúncia do Presidente Prudente FC contra o Osvaldo Cruz. O time prudentino acusa do rival de ter escalado irregularmente jogador no confronto direto do primeiro turno. O TJD deve confirmar para o dia 2 de junho o julgamento da denúncia, o que poderia implicar na perda de 3 pontos para o Osvaldo Cruz, que cederia a quarta colocação do grupo 1 ao Atlético Assisense. Motivo  nenhum de empolgação, pois o Falcão do Vale continua podendo chegar, no máximo, a 13 pontos, pontuação que clubes de outros grupos podem atingir já nesse próximo final de semana e, assim, eliminar definitivamente o time de Assis.

Imagem: Faceboob
Nota de esclarecimento postada  nas redes
sociais nessa quarta-feira, 28 de maio



*Professor universitário, historiador e jornalista, é mestre e doutorando em Ciências da Comunicação pela ECA/USP.


Nenhum comentário :