Jovem Pan Online - RSS

sexta-feira, 29 de maio de 2015

NÚMEROS - Segundona marca mais gols que a elite da Série A-1

Cláudio Messias*

O regulamento do Campeonato Paulista de 2015 unifica somente alguns critérios para os clubes inscritos nas divisões Série A-1, Série A-2, Série A-2 e Segunda Divisão. Um deles configura, na opinião do blogueiro, uma das mais desastrosas decisões da história do torneio, qual seja, a limitação de contratação de 28 jogadores por agremiação na temporada. Já opinei demais sobre isso e não cansarei a você, raro e exceto leitor, com mais essa acidez. Mas, continuando a análise, os números distanciam as realidades entre as divisões em disputa. Nessa perspectiva, nem sempre melhores salários, patrocinadores e vínculo com canais hegemônicos de TV rendem aquilo que o torcedor mais gosta de ver: gols.

Até aqui, decorridas seis rodadas, a Segunda Divisão do Paulistão Bebum Itaipava 2015 tem melhor desempenho, em redes balançando, que a Série A-1, a elite. A diferença é mínima, mas representa muito quando há comparativo de realidades entre as agremiações de uma e outra divisões. O Grêmio Prudente, por exemplo, tem o melhor ataque da Segundona nesse momento, média de 2,33 tentos por jogo. Esse parâmetro é, porém, inferior à média de gols do próprio certame, que é de 2,46 gols por jogo. Na Primeira Fase da Série A-1, por exemplo, o melhor ataque foi o do São Paulo FC, que marcou 30 gols em 15 jogos, média cravada de 2,0 gols por jogo. O Palmeiras, que dos 'grandes' foi o que marcou menos gols naquela etapa do torneio (23 tentos), registrou a média de 1,53 gol por confronto disputado.

No geral, a Série A-1, que teve 4 fases, sendo três delas em mata-mata, teve 374 gols marcados, perfazendo a média de 2,37 gols por cada um dos 158 confrontos realizados. A Segundona tem, ainda, 90 jogos realizados em seis rodadas disputadas por 30 clubes. Mas, como informado, a média de gols só sobe. Começou com 1,87 gol por jogo na primeira rodada mas subiu para 2,8 gols na terceira rodada. Na sexta rodada, semana passada, com 39 gols assinalados, a média foi de 2,6 gols.No cômputo geral, 2,46 tentos.

O pior ataque da Segundona é do Bandeirante, de Birigui, que está no Grupo 1, o mesmo do Grêmio Prudente. Não por acaso, o clube amarga a lanterna da chave e o status de pior time do certame, tendo balançado a rede com somente um gol em 6 disputados. Não tem, porém, a pior defesa, condição dividida, atualmente, por ECUS, Palmeirinha e Lemense, que sofreram 13 gols. A defesa do Bandeirante tomou 11 gols até aqui, saldo negativo de 10.



* Professor universitário, historiador e jornalista, é mestre e doutorando em Ciências da Comunicação pela ECA-USP.

Nenhum comentário :