Jovem Pan Online - RSS

sexta-feira, 1 de maio de 2015

ESTIAGEM - Assis fecha pior abril chuvoso desde 1991

Cláudio Messias*

Os adeptos de consumo irracional de água que revejam seus conceitos em Assis. A cidade escapou praticamente ilesa da crise da água que afetou parte considerável do Estado de São Paulo em 2014, mas, ao menos nesse início de outono, os números mostram um cenário preocupante. Está, sim, chovendo menos na cidade do que era esperado para esse início de ano. Não dá, porém, para falar em problemas de abastecimento até o próximo período de chuvas regulares, previsto para começar em setembro e outubro. Mas, diante do cenário caótico dos reservatórios paulistas, que estão abaixo de suas médias históricas, melhor começar a conscientização desde já.

A média histórica de chuvas registradas nos meses de abril, em Assis, é de 99,3 milímetros. Choveu, no mês encerrado ontem, somente 26 milímetros. Das três grandes chuvas previstas para o período, nenhuma se confirmou, resumindo-se a pancadas isoladas. Somente a temperatura média, com mínima de 18 graus e máxima de 28 graus, se confirmou.

A deficiência hídrica do solo na região de Assis, segundo o Ciiagro, é severa. Nos últimos 30 dias foram registrados somente 7 períodos de chuvas, ainda assim com precipitação máxima de 17 milímetros. Em março, por exemplo, havia chovido o equivalente a 200,5 milímetros, distribuídos em 14 dias. No mesmo período do ano passado as chuvas de abril totalizaram 56,7 milímetros, distribuídos por 12 dias de chuva.

Ainda de acordo com o Ciiagro, se forem consideradas as chuvas mensais registradas desde 1991, choveu em abril de 2015 menos do que a média mensal do pior mês do ano em precipitações pluviométricas, ou seja, agosto, cujo índice histórico é de 32,1 milímetros.

Alívio - O mês de maio, que de acordo com o Ciiagro tem histórico médio mensal de 83,5 milímetros em chuvas, interromperá a estiagem iniciada em abril. Já na tarde de domingo o tempo deve começar a virar em Assis, resultado da chegada da segunda massa de ar polar, vinda da Patagônia argentina. Chuva, pois, acompanhada de frio.

Segundo o CEPETEC-INPE, de domingo até segunda-feira deve chover o equivalente à metade da média de maio. Seriam 2 milímetros no domingo e outros 52 milímetros na segunda-feira. O encontro, nos céus, entre a massa de ar seco que há duas semanas abriu a estiagem na cidade e a frente fria pode ocasionar rajadas de vento e raios no final de tarde de domingo em todo o Médio Paranapanema.

Passada essa massa de ar polar, porém, haverá somente declínio da temperatura pelo próximos, então, dez dias. As mínimas chegam a 13 graus no sábado, véspera do Dia das Mães, enquanto as máximas não passam dos 28 graus. Chuva que é bom, nada.

Em maio a temperatura média histórica em Assis é de mínima de 14 graus e máxima de 24 graus. Para se ter um parâmetro, a Estação Experimental mantida pela Secretaria da Agricultura e Abastecimento do Estado, na cidade, marcou, nesse feriado de 1.o de maio, temperatura mínima de 12 graus e máxima de 24 graus. A umidade relativa do ar chegou aos 53% na cidade nessa sexta-feira.



* Professor universitário, historiador e jornalista, é mestre e doutorando em Ciências da Comunicação pela ECA-USP.

3 comentários :

Assis sp disse...

Claudio Boa noite , esse ciiagro e a maior mentira que tem, sou de familia com propiedades rurais, so em uma chuva que ocorreu agora no final de abril choveu 60 mm, fora outras que no total chegou a 100 mm no minimo, temos propiedades em candido mota assis e lutecia! Abraço

Blog do Messias disse...

Obrigado, amigo, pela postagem. Sim, soube que na região realmente houve registro maior e melhor de chuvas. Os parâmetros, porém, de baixo índice de chuvas em Assis também estão nos controles do CEPETEC e da Climatempo. Enfim, por precaução, vamos economizar água!!!! Abraço!

Assis sp disse...

Com ctz Claudio! Todos temos que economizar! Abraço!