Jovem Pan Online - RSS

sábado, 6 de junho de 2015

SEGUNDONA BRAVA - Atlético Assisense, reabilitado e no G-4, repete 2014 e vence Vocem no derby

Cláudio Messias*

Há, no meu campo de formação, ou seja, a História, uma corrente de teóricos que conceitua a história como cíclica. Na Filosofia, sob esse mesmo preceito, afirmar-se-ia que a história é um eterno retorno. Mas, talvez nem a vã filosofia humana explique como e por que o Atlético Assisense repetiu o feito de 2014 e venceu o mandante Vocem, no Tonicão, por 2x0 na tarde desse sábado em que os olhares do mundo estavam voltados para Berlin. Se isso se confirma, ficou menos feio.

Na Sucupira do Vale, onde há gente demais achando que manda muito, Atlético Assisense e Vocem vivem, desde o ano passado, a retórica popular do primo rico e do primo pobre. E não é que o primo pobre aprontou mais uma sobre o rival? Que não me definam como oportunista, ao menos nessa ocasião: não é de hoje que defendo que dinheiro, só, não basta nesse universo incógnito da Segundona, a que particularmente chamo de brava.

Não vou opinar nem entrar na 'justiça' do placar de 2x0. O que digo é que fiquei surpreso quando, na altura de João Pessoa, na BR-101, consegui atualizar o placar online da Federação Paulista de Futebol e visualizar, na tela do aparelho celular, o resultado final do derby no Tonicão. Sabia, sim, que o jogo havia ficado em 1x0 para o Falcão do Vale no intervalo do primeiro para o segundo tempo, ouvindo a competente narração de Cadu, na Cultura AM, via versão online, pela internet. Gol de pênalti considerado pela equipe esportiva da família Camargo como sendo justo, procedente.

Na semana passada, dialogando com Fábio Manfio, diretor de futebol do Vocem, via redes sociais, ratifiquei minha posição sobre a derrota para o Grêmio Prudente por, coincidência, os mesmos 2x0, no mesmo Tonicão. Anormal, destaquei, seria perder o derby uma semana depois. Pois é assim, considerando situação absurdamente anormal, que analiso o segundo tropeço seguido do Vocem na Segundona. Competência, claro, não falta; sobra. Afinal, mesmo deixando de somar 6 pontos o Esquadrão da Fé mantém a vice-liderança do Grupo 1, mérito de uma campanha que oito dias atrás o colocava como melhor time do certame. Mas, que o sinal de alerta está ligado, disso não tenho a menor dúvida.

Do lado oposto há, somente, felicidade. Por mais que não haja dinheiro, sobrando ou faltando, há uma moral elevada. O Atlético Assisense, com os 2x0 dessa tarde, voltou ao G-4. Ou seja, está novamente entre os quatro clubes que, hoje, avançariam para a Segunda Fase. Arrisco dizer, pelo pouco que vi, direto da fonte (dos Amores, também conhecida como Tonicão), que o Atlético Assisense não é melhor, no conjunto, que o Vocem. Mas, nesse sábado, foi melhor. Placar de 2x0 no mando do adversário não é zebra nem coincidência. É competência. E, no saldo, Carlos Alberto Seixas superou Sérgio Caetano.

Recorro à súmula do árbitro Simões Ferrari para registrar, formalmente, o que foi o jogo. Os gols do Atlético Assisense foram marcados por Diego Iatecola, de pênalti, aos 19 minutos iniciais. Matheus Aguiar deu números finais ao derby aos 40 minutos finais. Justamente os dois jogadores que mais mantêm regularidade no campeonato vestindo a surrada, judiada, mas acima de tudo honrosa camisa do Assisense. Em números, o derby ainda teve dois cartões amarelos e duas expulsões, uma para cada lado. Falcão do Vale com 19 faltas, Vocem com 12. E a bola rolando acima da média do campeonato: 62 minutos.

Na tábua de classificação mudanças significativas nessa oitava rodada. Agora, além de Atlético Assisense, também o Noroeste soma 13 pontos e encosta no Vocem. O time de Bauru venceu, em casa, um agora novamente conhecido Osvaldo Cruz em crise financeira. O placar de 3x0 confirma que a parceria entre o Noroeste e a Ferroviária, de Araraquara, começou a surtir efeito, tipo de circunstância que só tem a valorizar a ação isolada do Atlético Assisense, que reage com as próprias forças, dentro dos próprios limites orçamentários.

No topo do Grupo 1 está o Grêmio Prudente. O clube prudentino levou sustos, mas venceu o José Bonifácio pelo apertado placar de 4x3, no Prudentão, sob o olhar de 857 pagantes. Chega aos inquestionáveis 22 pontos, dispara como a maior força da Segundona e solidifica um caminho já trilhado no ano passado mas perdido por um detalhe, ou seja, o acesso à Série A-3. De acordo com a rádio Globo-CBN, o Grêmio mantém o maior defeito da temporada, ou seja, uma defesa fraca, frágil e insegura, principal fator a ser corrigido pelo técnico Tupãzinho no decorrer da temporada.

Mais dois jogos fecham a oitava rodada nesse domingo pela manhã. No mesmo horário, às 10 horas, o Bandeirante recebe o Tanabi no estádio Pedro Marin Berbel, em Birigui, e o América enfrenta o Fernandópolis, no estádio Teixeirão, em Rio Preto. O Bandeirante tentando reverter a condição de pior clube do Grupo 1 e segundo pior do campeonato. Já o Tanabi, irregular, busca chegar aos 10 pontos e, assim, tentar encerrar o Primeiro Turno, semana que vem, mais próximo do G-4. Em Rio Preto, o América medirá a real força do Fernandópolis, que ao menos agora está fora do G-4.

Agora, na semana, vem o desfecho do Primeiro Turno. Tarefa árdua para o Vocem, que vai a Fernandópolis e pode encontrar um Fefecê que, com uma vitória sobre o América amanhã, ultrapassaria e tiraria a vice-liderança do Esquadrão da Fé caso obtenha êxito nesse tipo de confronto direto. Em um eventual tropeço, ainda, o Vocem pode ver o Noroeste, com uma vitória sobre em Tanabi, tirar-lhe do G-4.

Para o Atlético Assisense os passos são mais gradativos. Primeiro, o Falcão do Vale depende de ao menos um empate do Fernandópolis, amanhã, frente ao América, em Rio Preto, para permanecer no G-4 no desfecho dessa oitava rodada. Depois, o Falcão do Vale receberá, no domingo que vem, o mesmo América, no estádio Tonicão. E, por ironia do destino, dependendo do resultado que o Vocem trará de Fernandópolis, uma vitória do Falcão do Vale com bom saldo de gols o faria não só ultrapassar o rival na classificação, como tirá-lo do G-4.

Crédito - Acompanhei apenas parcialmente a transmissão do jogo Vocem 0x2 Atlético Assisense. Tentei, novamente sem sucesso, acessar a rádio Fema FM em sua versão online. Consegui, então, conectar à transmissão da Cultura AM, emissora pela qual acompanhei o primeiro tempo inteiro. Mas, como encontrava-me em viagem, levando a família até o aeroporto de Recife, no retorno, entre a capital pernambucana e João Pessoa, pela BR-101, o sinal de telefonia celular desapareceu na altura do município de Igarassu. Quando restabeleci a conexão, no aparelho celular, já nos arredores de João Pessoa, o jogo havia acabado em Assis. A partir de então, ouvi o segundo tempo de Grêmio Prudente 4x3 José Bonifácio, pela rádio Globo-CBN.



* Professor universitário, historiador e jornalista, é mestre e doutorando em Ciências da Comunicação pela ECA-USP.

Nenhum comentário :