Jovem Pan Online - RSS

quarta-feira, 19 de agosto de 2015

SEGUNDA FASE - São Carlos não será páreo fácil na estreia do Atlético Assisense

Cláudio Messias*

Engana-se quem pensa que as duas maiores pedreiras do Grupo 5, na Segunda Fase da Segundona 2015, sejam Olímpia e Grêmio Prudente. O São Carlos, que nesse domingo vem a Assis abrir, para o Atlético Assisense, as disputas da nova fase do certame, tem um histórico, no mínimo, de respeito.

Hoje clube-empresa, o São Carlos traz a tradição de uma cidade que fez rivalidade histórica com o futebol da região de Assis. Basta recordar da hoje extinta Sãocarlense, páreo duro para Vocem e Paraguaçuense em temporadas passadas, em especial na década de 1990. Hoje, o clube que representa aquela cidade é o São Carlos Futebol Ltda, fundado em 25 de novembro de 2004.

Naquele ano de fundação o São Carlos já deu trabalho. Esteve, com o mesmo Atlético Assisense, na fase final da antiga Série B, junção das séries B-1 e B-2 que deu acesso direto à Série A-3 naquela temporada. Nascia, ali, uma rivalidade, pois o time de Assis também estreava sua estrutura profissional, com um ousado projeto até então não visto na cidade. Ambas ficaram no 'quase-acesso', mas anos depois o São Carlos experimentou o acesso, caindo novamente temporadas depois.

Em campo, nesse domingo pela manhã, o que valerá será o retrospecto recente. E na temporada 2015 Atlético Assisense e São Carlos fazem campanhas muito parecidas. As duas equipes têm 10 vitórias em 18 jogos disputados. O que as diferencia são os empates e as derrotas. São Carlos com um empate a mais (4) e Atlético Assisense com uma derrota a mais (5). Os dois ataques marcaram os mesmos 33 gols, mas o time de Assis foi mais vazada: 17 a 13.

Na prática, o São Carlos é um visitante ingrato. Nos 9 jogos feitos fora de casa, venceu três e empatou outros três. E esses três empates são importantes de avaliar, pois ocorreram no returno da Primeira Fase e nas casas de Inter de Bebedouro e Olímpia, as duas pedreiras do Grupo 2 na fase anterior. Ainda, destaque para a vitória sobre o Barcelona Esportivo (5x0) na casa do adversário, abrindo o returno, pois esse resultado devolveu a derrota, na estreia, em São Carlos, por 1x0.

No cruzamento das campanhas na Primeira Fase o São Carlos vem de uma chave mais equilibrada. Tanto que o time só garantiu classificação na última rodada, domingo passado, terminando a fase em quarto lugar com os mesmos 34 pontos de Elosport (eliminado) e Lemense (classificado). São Carlos e Elosport decidiram a classificação nos critérios de desempate previstos no Regulamento, e o time de São Carlos ficou com a vantagem de ter saldo de 20 gols, ante 6 gols positivos do Elosport.

Já o Atlético Assisense teve menos dificuldade para garantir vaga. Engatilhou uma campanha vitoriosa entre a segunda metade do primeiro turno e a primeira metade do returno e, assim, classificou com duas rodadas de antecedência. Falcão do Vale precisa, contudo, reparar seu desempenho como mandante. Venceu 5 dos 9 jogos que mandou no Tonicão, porém foi derrotado em 3 ocasiões, deixando, portanto, de somar 9 pontos que, caso fossem computados dentro do retórico 'dever-de-casa', lhe dariam campanha igual, por exemplo, à do Olímpia, melhor time do certame até aqui.

No quesito faltas o Atlético Assisense é mais indisciplinado na comparação com o São Carlos: 273 faltas, ante 238 do rival. Por conseguinte, Falcão do Vale com 41 cartões amarelos e 6 expulsões até aqui, enquanto o São Carlos traz 35 cartões amarelos e uma expulsão a mais (7). As duas equipes não podem ser consideradas fenômeno de público. Atlético Assisense com 2.215 torcedores pagantes em 2015, São Carlos com um pouco mais: 2.514.

* Professor universitário, historiador e jornalista, é mestre e doutorando em Ciências da Comunicação pela ECA-USP.

Nenhum comentário :