Jovem Pan Online - RSS

domingo, 9 de agosto de 2015

DERBY - Vocem devolve os 2x0, volta ao G-4 e está a um empate de eliminar o Fernandópolis

Cláudio Messias*

Manhã de domingo de presente coletivo a todos os pais nascidos ou vividos em Assis. Em especial, àqueles que foram ao estádio Tonicão, bateram o recorde de público do ano e assistiram a um espetáculo de futebol que somente os que protagonizam profissionalmente a essência desse esporte podem conceber. Deu Vocem, com justos 2x0, mas a vitória é da cidade de Assis, que recoloca dois clubes no G-4, ou seja, tem 50% das vagas do Grupo 1 para a Segunda Fase. E sem precisar pagar ou receber dinheiro sujo de ninguém.

Prevaleceu, hoje, a competência tática do técnico Tupãzinho. Sim, não há como negar que o Vocem tenha mostrado mais volume de jogo. E que jogo! Um duelo que já entrou para a história, pois tanto o Esquadrão da Fé poderia ter feito 4x0 ou mais, como o Atlético Assisense desperdiçou chances de ao menos empatar. No saldo geral, contudo, vitória justa de um time que já liderou a mesma chave, caiu de produção, se realinhou depois da demissão do técnico Sérgio Caetano e agora está a um empate de passar para a Segunda Fase.

Manhã de domingo com quatro torcidas organizadas no Tonicão. Mais de 1.600 pagantes, igualmente distribuídos pelos dois setores de arquibancadas reservados a cada um dos times. Nenhuma briga registrada, muitas provocações 'cantadas' e, ao fim do jogo, os dois portões abertos simultaneamente. Vocemistas e Assisistas cruzando caminhos e destinos, em circunstância exatamente igual à que se desenha nessa reta final do returno: todos na Segunda Fase, decidindo a sorte em mais uma histórica expectativa por colocar Assis na Série A-3.

Agora resta apenas uma rodada e uma vaga no Grupo 1. Vocem, quarto colocado, soma 30 pontos, um a mais que o irregular Fernandópolis. Os dois times têm as mesmas 8 vitórias, porém o time de Assis sofreu uma derrota a menos. Por conseguinte, chega à décima oitava e última rodada do returno, domingo que vem, jogando pelo empate. Mas, não. Certamente, o Vocem não jogará pelo empate. Nesse domingo, respondendo indiretamente ao técnico Betão, do Fernandópolis, que na sexta-feira, depois dos 2x0 sobre o América, anunciou que viria ao Tonicão para "ver o que esse Vocem tem", agora já sabe que o time de Assis faz jus à tradição e não é fruto do acaso estar na frente do Fernandópolis. Deveria, aliás, saber que time é esse, pois, mantendo a sua irregularidade, não saiu do empate de 0x0, dia 16 de junho. Não perdeu, mas, também, não venceu. E domingo que vem, caso novamente não perca, mas igualmente não vença, vê a necessidade de ligar ao atacante Abuda, ex-Corinthians, e lamentar que apesar do dinheiro todo, dentro de campo, na bola, não terá dado, de novo.

O jogo - A bola nem rolou direito e o Vocem já teve a primeira oportunidade de abrir o placar no derby desse domingo. Pressão total sobre o rival, que já entrou em campo matematicamente classificado. Com os nervos à flor da pele os jogadores viram no fator emocional um obstáculo para converter em gol as boas chances produzidas. É possível que o Atlético Assisense tenha criado a melhor chance da etapa inicial, mas o histórico de intervenções do goleiro Augusto demonstra que o Vocem também poderia ter balançado as redes nos primeiros 45 minutos.

Na etapa complementar o técnico Carlos Alberto Seixas armou a estratégia de segurar os volantes e, com isso, recuar os meias de armação. Esse sistema tático é característico do treinador, que dá o contra-golpe em seus adversários explorando a velocidade do atacante Aguiar. Mas, a sapiência de Tupãzinho anulou essa estratégia adversária. E, assim, o Atlético Assisense ficou acuado em seu campo defensivo, ao passo em que Aguiar tornou-se solitário na frente.

De quebra, para contornar o congestionado setor de meio-campo, Tupãzinho instruiu seus comandados a explorar os lançamentos. E, assim, as jogadas aéreas foram a tônica do Vocem no jogo inteiro. De um 4-4-2 quando se defendia, o treinador assumia um ousado 3-5-2, atacando em bloco e fixando dois homens na frente, nas costas da zaga adversária. Parar o Vocem, só na base das faltas. E nesse aspecto o árbitro Júnior César Lossávaro foi disciplinador. Sabedor do clima de rivalidade do derby, distribuiu cartões amarelos para inibir lances mais violentos. Em uma dessas circunstâncias Gabriel, do Atlético Assisense, deixou sua equipe desfalcada logo aos 7 minutos do segundo. Ele havia sido advertido com cartão amarelo aos 22 minutos iniciais e foi expulso em um lance confuso, em que, primeiro, foi atribuído cartão amarelo a outro atleta, equívoco prontamente corrigido pelo quarto árbitro. Gabriel foi punido com o segundo amarelo e, apesar de indignado, teve de deixar o campo.

Vinte minutos depois desse lance o Vocem abriria o placar. Com um jogador a menos o técnico Seixas fechou ainda mais seu time, que praticamente não passava do meio de campo. Já Tupãzinho ousava por completo, tirando William, zagueiro, e colocando Guilherme Zolin, imediatamente após a expulsão de um dos jogadores adversários. O resultado dessas duas circunstâncias foi o gol de Yamada, aos 27 minutos finais. Um gol que resultou de troca de passes rápidos e uma feliz conclusão, à média distância.

Aos poucos o Atlético Assisense conseguiu reorganizar-se taticamente em campo e a criar oportunidades de gol. O técnico Seixas fez somente uma alteração, logo após a expulsão de Gabriel, um jogador que tanto faz a marcação pelo meio, quanto auxilia na criação. Everton deu lugar a Léo, que conseguia aproximar-se do artilheiro Aguiar. Mas, antes de essa estratégia render resultado veio o golpe de misericórdia. Léo fez jogada pelo setor esquerdo do ataque, enfileirou seus adversários, até acertar mais um belo chute de média distância, definindo o placar do jogo: 2x0.

O saldo do derby tem números que mostram, e bem, como foi a batalha no Tonicão. Foram distribuídos 12 cartões amarelos, sendo 6 para cada lado, além da expulsão de Gabriel, do Assisense. A bola rolou dentro da média, totalizando 59 minutos, e foram registradas 37 faltas, 19 delas cometidas pelo Falcão do Vale.

Agora, mesmo já classificado, o Atlético Assisense vê ameaçada sua terceira colocação no Grupo 1. O Vocem, com 30 pontos, está a um ponto do rival. Ou seja, mesmo que empate o último jogo, em Rio Preto, frente ao eliminado América, o Falcão do Vale seria ultrapassado e cairia para a quarta colocação caso o Vocem vença o confronto direto com o Fernandópolis, nos mesmos dia e horário, ou seja, domingo, às 10 horas, no Tonicão. E sair da terceira para a quarta colocação significará cair no grupo 4 ou no grupo 5, na Segunda Fase, cada um com pedreiras como São Bernardo e Olímpia, francos favoritos ao título.

Os comandados de Tupãzinho entraram em campo e cumprimentaram a torcida

Os comandados de Seixas cumprimentaram o setor de
arquibancadas da torcida mandante...

... e, educadamente, cumprimentaram a torcida adversária. Derby da Paz.

Equipes perfiladas para as execuções dos hinos Nacional e de Assis

Jogadores das duas equipes cumprimentaram-se antes de a bola rolar.

Ao todo, mais de 1.600 torcedores pagaram ingressos para ver
o derby na ensolarada manhã de Dia dos Pais

Recorde de público do ano no Tonicão

O chute de Yamada, aos 27 minutos finais, foi indefensável para
o goleiro Augusto, do Atlético Assisense

A comemoração do primeiro gol do Vocem fez o setor de arquibancadas
'explodir' em um grito só. Bonito de ver.

Alegria total na comemoração: 1x0

Festa com direito a camisão do Vocem

No segundo gol, aos 48 minutos, o chute de Leonardo foi tão certeiro que o
goleiro Augusto, de novo, nada pôde fazer.

Festa completa, ensaiando o que viria após o jogo

Placa da Federação mostrava, e bem, o lema principal do derby: paz prevaleceu.


* Professor universitário, historiador e jornalista, é mestre e doutorando em Ciências da Comunicação pela ECA-USP.

Nenhum comentário :