Jovem Pan Online - RSS

quarta-feira, 5 de agosto de 2015

PRELIMINAR - Torcidas selam pacto de paz para o derby de domingo


JUSTIFICATIVA
O blogueiro foi cobrado quanto `a coluna "Eu, da arquibancada", com os dropes do jogo Atlético Assisense 1x0 Tanabi. Como a produção dos conteúdos é encaixada na rotina de professor, pai de família e pesquisador doutorando, nem sempre é possível atualizar as postagens no ritmo, digamos, factual das pautas. Daí, portanto, a explicação para o lançamento, na semana passada, dessa coluna denominada Preliminar, com informações que antecedem, nos bastidores, as rodadas da Segundona.

MELHORAS
Meu amigo Márcio Ribeiro, eterno colaborador do Atlético Assisense, não pôde emprestar sua voz aveludada ao público que foi ao Tonicão no domingo passado. O locutor, historiador e escritor passou, na semana anterior, por uma cirurgia de hérnia, na Santa Casa de Assis. Foi substituído por outra lenda do rádio de Assis: Tapera, que fornece o sistema de som ao Falcão do Vale. Assis, portanto, muito bem representada na locução de animação de jogos do esporte profissional, uma vez que Toninho Scaramboni também exerce, com igual competência, essa função de interação com o público.

SEGURA
Discreto e sem dar brecha para especulações por parte da crônica esportiva, o técnico Carlos Alberto Seixas disciplinou seus comandados a respeitar o democrático acesso da imprensa durante os jogos da Segundona. Mas, nada de entrar em assuntos relacionados ao cotidiano da equipe. De gestão entendem duas pessoas, credenciadas: ele e o presidente, Bahia.

DISCRETO
Seixas não esconde sua prioridade maior para 2015: garantir o Atlético Assisense na Série A-3, que pode virar Divisão Intermediária e, assim, valer, em 2016, vaga na Primeira Divisão, hoje Série A-1. Mas, nesse ínterim, já faz o próprio planejamento para a próxima temporada. Conhecido gestor no universo do futebol profissional das regiões Sudeste e Centro-Oeste, o treinador é assediado por projetos. O blogueiro sabe de uma proposta de clube do México que quer as mãos de Seixas. Projeto que visa a reestruturação da Concacaf, que poderia vir a organizar torneio da América do Norte semelhante à Libertadores da América, com convite a alguns clubes mexicanos.

SEM MILAGRE CASEIRO
Cândido Mota torna-se, aos poucos, Gigante Azul. É da vizinha cidade a origem das empresas que estão patrocinando placas de publicidade à margem do gramado do Tonicão. Os patrocínios apareceram na vitória sobre o Tanabi, domingo passado. Garantem os investimentos necessários para a contratação dos quatro reforços que, já acertados, chegam para a disputa da Segunda Fase.

MEA CULPA
Integrantes da torcida Os Maritacas foram ao Tonicão domingo, no domingo. Foi a segunda visita ao estádio para prestigiar a rapaziada do Atlético Assisense, que está instalada em Cândido Mota. Os Maritacas, pois, são candido-motenses e respondem como sendo torcida organizada de apoio ao esporte em geral. Na vitória sobre o Tanabi não havia a tradicional corneta, mas nem por isso o blogueiro deixou de ser cornetado. 

MEA CULPA II
Um dos membros da organizada pediu, educadamente, para corrigir publicação feita duas semanas atrás, quando do empate com o Fernandópolis (1x1). O blogueiro empolgou, gramaticamente, com o substantivo epiceno e deu gênero feminino a maritaca, ave genuinamente brasileira e famosa por produzir um som permanente, que a caracteriza. Nessa empolgação saiu 'As Maritacas' na postagem do Blog, quando na realidade o grupo se auto-denomina 'Os Maritacas'. Equívoco corrigido, mas com a posição do blogueiro de que essa definição por gênero em nada muda o essencial, que é o apoio, nas arquibancadas, ao Falcão do Vale. Ninguém, pois, fica mais macho ou mais afeminado por essa mudança no artigo definido.

UTOPIA
É só chegar a reta final de fase decisiva e começam a surgir especulações infundadas. Uma delas, desde o final de semana, incidiu sobre uma eventual quinta vaga na Série A-3 de 2016. Vaga, por sinal, deixada pelo Cotia, rebaixado pelo TJD. Os desinformados estavam calculando que, com o rebaixamento do Cotia, a Série A-3 abriria as vagas dos cinco últimos colocados, quais sejam: Cotia, Rio Preto, Tupã, Santacruzense e Francana.

UTOPIA II
A ata do TJD que rebaixou o Cotia data de 13 de abril de 2015. Nela, fica especificado que o clube, por não ter estádio para disputar os jogos que manda, além de outros problemas burocráticos, já seria, ali, o primeiro rebaixado. Ao final da Primeira Fase da A-3 quem respirou aliviado foi o Rio Preto, o primeiro que seria rebaixado, ocupando a 17.a colocação, somente um ponto atrás do Cotia. Enfim, não tem quinta vaga para a Segundona 2015.

FATO
Se os dois clubes de Assis avançarem para a Segunda Fase da Segundona 2015 é quase certo que não haverá mais derby no ano, exceto que ocorra uma final assisense. Mesmo que o Atlético Assisense, já classificado, perca os dois jogos que faltam (Vocem e América) e, assim, o Vocem se classifique, isso alteraria, somente, quem fica na terceira ou na quarta colocação. Grêmio Prudente e Noroeste, que decidem quem termina a fase líder ou vice-líder, também mudam a composição de quem enfrentará Vocem ou Atlético Assisense. 

FATO II
Hoje, com o Noroeste líder, o time de Bauru reencontraria o Vocem na próxima fase. Na lógica, o Atlético Assisense duelaria com o Grêmio Prudente. Apenas lembrando que da Segunda Fase só saem dois clubes, de maneira que os líderes de cada chave façam a final. Acesso, portanto, garantido a quem terminar a próxima fase na primeira ou na segunda colocação de cada grupo, composto por seia agremiações.

AUDIÊNCIA
Glauber Barduzzi, o Kaká, é leitor assíduo do Blog. Informação passada por Barduzzi 'Pai', que passou 40 dias na Europa, visitando o filho, aproveitando para fazer turismo, mas não 'sem dar trabalho'. Barduzzão foi parar no hospital, mas nada sério.

AUDIÊNCIA II
Kaká atuou no futebol profissional de Assis, passando pelo Atlético Assisense nas importantes temporadas da metade da década de 1990. Hoje fisioterapeuta, está em Dublin, na Irlanda. Curte, segundo o pai, as postagens sobre os bastidores do futebol profissional de Assis.

IMITÃO
Alguns raros e excetos leitores dialogaram com o blogueiro na ocasião dos 150 mil acessos, completados na semana passada, logo em seguida à casa de 1 milhão de visualizações de conteúdos do Blog. Dizem haver outras publicações, relacionadas ao futebol do fundo do poço, ou seja, da Segunda Divisão, que repetem a metodologia cá, desse espaço, de monitorar ranking das bilheterias e classificação geral. Blogueiro respondeu, e ratifica, de que o mais importante é que haja divulgação dessa divisão, tão desprezada pela Federação. Orgulho nenhum por exclusividade. Desde, claro, que os demais levantamentos, feitas geralmente por igualmente blogueiros ou cronistas esportivos, utilizem a mesma metodologia de acessar súmula por súmula, boletim financeiro por boletim financeiro e, no Excel, lançar as estatísticas que mostram desempenho, um a um, dos 30 clubes inscritos. Chegar aqui, copiar os cálculos já feitos e replicar, além de feio, é plágio e há amparo legal, nas políticas do Google, para punir tal prática.

LIMPO
Na semana passada o blogueiro foi convidado pelo Google Inc. a assinar, online, termo de compromisso que enquadra o Blog nas políticas de tecnologias da informação e da comunicação dos países que integram a Zona do Euro. Responsabilidade, pois, por cada palavra cá postada, mas a igual recíproca de proteção, primeiro, à originalidade das postagens e, principalmente, à imagem do blogueiro. Isso se deve a duas tentativas de invasão do Blog, feitas nos últimos seis meses e detectadas pelo Google. Mais pauta para um dossiê que, sob os auspícios de João Fabosi, competente advogado nas mãos de quem o blogueiro deposita sua vida particular, terá desdobramentos.

REENCONTRO
Domingo pela manhã foi ocasião de reencontro com José Camargo, o Zé Pecado, que coordena o brilhante e audacioso projeto da Cultura AM para a cobertura de jogos no estádio Tonicão, sem distinção aos clubes que mandam jogos em Assis. Blogueiro, que iniciou a carreira na emissora da Família Camargo, parabenizou pelo trabalho e cá, agora, ratifica e justifica esse reconhecimento. Afinal, o respeito entre os profissionais de imprensa independe de gerações. E nesses últimos dois anos teve muito aspirante que não limitou-se a mirar os clubes, mas, a falar bobagens que, hoje, representam a contradição de suas recentes carreiras. Cultura AM, pois, é dedo, e comprova ser historicamente a emissora que mais deu apoio e cobertura ao futebol profissional da cidade, enquanto os profissionais que por lá passam são anéis. E a vida segue.

 CLUBE DE PAZ I 
As torcidas organizadas Torcida Jovem e Mancha Roxa selaram, nas redes sociais, um pacto de paz. Não que sejam rivais o suficiente para colocar o derby do próximo domingo em risco. A questão é que algumas provocações, advindas, ainda, do derby do primeiro turno (Vocem 0x2 Atlético Assisense), ganharam dimensões preocupantes, da semana passada para cá. Ao ponto de os líderes das organizadas dos dois times partirem para o diálogo e, assim, estabelecer publicamente o protocolo de não alimentar provocações que impliquem em brigas e, assim, afugentem o público.

 CLUBE DE PAZ II 
As organizadas de Atlético Assisense e Vocem haviam programado encontro presencial entre seus líderes, no estádio Tonicão. Essa conversa estava programada para a tarde dessa quarta-feira. Ambas as torcidas são conhecidas por apresentar comportamento exemplar em estádio e têm em comum a preocupação de ter os nomes associados a eventuais confusões que sejam protagonizadas por pessoas não relacionadas às duas facções. Ninguém, portanto, sai de casa, em pleno Dia dos Pais, para brigar em estádio. Isso, claro, entre aqueles que têm equilíbrio emocional e sabem viver e conviver em sociedade, sob a égide da lei.

  CLUBE DE PAZ III  
Por questões de segurança nada relacionadas às ameaças e provocações das últimas semanas, nas redes sociais, a Polícia Militar já havia traçado a estratégia de separar o estádio Tonicão em dois setores. O clube mandante, ou seja, o Atlético Assisense, terá sua torcida no setor de arquibancadas das cabines de imprensa. É sabiamente estudada a possibilidade de, primeiro, haver, depois do jogo, liberação do setor da torcida do Assisense para, depois, abrir os portões do setor da torcida do Vocem. Se isso se confirmar, será a primeira vez que o sistema de segurança de um jogo em Assis avançaria para o nível de segurança 2, como ocorre em clássicos do interior como Noroeste x Marília ou Ponte Preta x Guarani. Clássicos dos grandes clubes da capital exigem nível de segurança 3.

LENHA
Amigos de jornalismo esportivo das regiões com clubes disputando a Segundona perguntam sobre eventual preferência do blogueiro por clube em Assis. Recebem como resposta o trivial: torcida para que a cidade tenha os dois clubes locais na Série A-3 em 2015. Mas, as postagens são feitas, primeiro, sobre agremiação que se abre a divulgação e interação, e, depois, em ambiente em que haja respeito. Hostilidade, portanto, leva a isolamento.

Um comentário :

Grupo Catavento disse...

Muito bacana a coluna, meu querido Messias. Já fiquei fã.