Jovem Pan Online - RSS

quinta-feira, 16 de abril de 2015

FISCALIZAÇÃO ELETRÔNICA - 16/BAR



CORREIO
O reajuste autorizado na quinta-feira passada, 9, pelo Ministério das Comunicações, para as tarifas dos Correios, mostra um inusitado. O serviço de telegrama, muito utilizado nas décadas de 1980 e meados de 1990, ainda é disponibilizado. Nas versões de contratação via direta à agência,por telefone ou via internet, um telegrama nacional sai por, respectivamente, R$ 8,50, R$ 7,08 e R$ 5,87.

FALHA DE S. PAULO
Meu amigo Rodrigo Bueno faz uma falta danada no corpo editorial de esportes da Folha de S. Paulo. Ex-editor do Painel, ele não cometeria a falha, por desconhecimento, lançada na edição do impresso desse sábado, 11. Segundo o dropes, a construtora Odebrecht, está concluindo a instalação dos telões que ficarão atrás dos setores Norte e Sul da Arena Corinthians.

FALHA DE S. PAULO II
Lá estive, no Itaquerão, três semanas atrás. Na companhia de meus filhos, passei praticamente o dia naquele que não é o mais moderno e nem o mais lindo estádio de futebol por onde já estive, torcendo ou trabalhando, mas, com certeza, é um dos mais belos e confortáveis do mundo. Pude, na ocasião da visita, data do jogo Corinthians 5x3 Penapolense, dialogar com a equipe que instala os painéis de LED. Na realidade, o investimento nesse recurso de comunicação visual sai a custo zero para o Corinthians e para o Projeto Arena Corinthians. A Osram, fabricante de lâmpadas e materiais elétricos, é quem está bancando tudo. Dã.

PRENÚNCIO
Dez dias atrás um arquiteto amigo comentou sobre o desperdício que seria a demolição, e não a desmontagem, da torre metálica que, pertencente à Rádio Integração do Vale FM, de Cândido Mota, foi desativada junto com a desapropriação do antigo Colégio Diocesano. Em vez de um perigoso amontado de ferro retorcido a torre poderia passar por reciclagem e ser aproveitada para outras finalidades, uma vez que tem menos de 20 anos de uso. Fosse a inteligência mais usada do que a pressa e ao menos uma vida humana estaria, hoje, poupada. Deu no que deu.

QUASE
Completei, nesse dia 14, dois meses desde a cirurgia cardíaca a que fui submetido no Centro Cardiológico da Santa Casa de Marília. Termina, pois, meu período de convalescença. E inicia-se o período de readaptação gradativa ao meu ritmo normal de atividades cotidianas. Meu retorno a Campina Grande tem data marcada: 7 de maio. Retomo minhas aulas e meus projetos, formalmente, no dia 17 seguinte. Nessa quinta-feira, 16 de abril, refaço o ecodopplercardiograma no Centrocor, em Assis. Foi esse exame que identificou a gravidade de meu estado de saúde, culminando, onze dias depois, na cirurgia que colocou quatro pontes de safena e usou uma mamária em meu coração.

ATÉ QUE ENFIM
O Ministério das Comunicações publicou, enfim, a frequência para operação das rádios digitais no país. As emissoras que aderirem de imediato à nova tecnologia, podendo, para isso, recorrer a recursos no BNDES, terão sintonia em VHF Alto, nas faixas que vão de 174 MHZ a 216 MHZ. A identidade histórica de emissoras com suas frequências, portanto, ruirá.

ATÉ QUE ENFIM II
A portaria 1.581, dessa segunda, 13 de abril, mantém o cronograma que já havia sido publicado em ações anteriores do Ministério das Comunicações. Assim, primeiro entram em operação as rádios digitais de cidades com população acima de 500 mil habitantes. A 'novidade' é que dessa vez o ministério prevê que, definidas as outorgas correspondentes à demanda vigente de emissoras transitando das plataformas analógica para digital, outras concessões poderão ocorrer, desde que a relação população-número de emissoras ativas assim permita. Esperança, pois, para as rádios comunitárias regularmente em operação hoje, data da publicação.

RECONHECIDO
O Conselho Estadual de Educação tornou público, na semana passada, o reconhecimento do curso de graduação em Educomunicação, na ECA-USP. A licenciatura, cujo projeto foi desenvolvido por meu orientador de doutorado, Ismar de Oliveira Soares, é homônima ao curso em que leciono na Universidade Federal de Campina Grande. Lá, porém, somos um bacharelado em Comunicação Social, com habilitação em Educomunicação.

NARIZ REDONDO
Estudantes do campus de Assis da Unesp voltaram à rotina normal, ou seja, deixaram de assistir ao telejornal Tem Notícias em suas edições vespertina e noturna. Por alguns dias eles esperaram pela veiculação de uma reportagem resultado de gravações feitas há três semanas. Ficaram, como todos os telespectadores que ainda assistem a essa emissora afiliada da Rede Globo, engolindo pautas como a que recolheu opiniões de moradores de bairros, claro, de Bauru. Nada anormal para aquela que com certeza é a emissora de TV Comunitária Aberta mais famosa de Bauru.

NARIZ VERMELHO
A reportagem gravada em Assis aborda as atividades do Centro de Línguas e Desenvolvimento de Professores, projeto de extensão da Unesp que oferece cursos de línguas estrangeiras de graça a toda a comunidade. Projeto, aliás, que em nada depende da TV Tem para manter a regularidade de procura, uma vez que todas as vagas são preenchidas quando de divulgação por rádios, jornais e sites de notícias com cobertura exclusivamente sobre a área da comarca de Assis.

GELADEIRA
A reportagem sobre o Centro de Línguas da Unesp entrou na gaveta de quem responde como editor do Tem Notícias. Na linguagem jornalística, virou jabá. Ou seja, o dia em que o noticiário estiver ruim de pauta, com certeza o material vai ao ar. Resumindo, o dia em que Bauru tiver menos participação nos péssimos telejornais editados pela afiliada local da Globo. Enquanto isso, o Band Cidade, produzido pela Band Interior em Presidente Prudente, dá mais conta do recado. E, no geral, a dona Rede Globo amarga perda gradativa de público. Por que será?

MAIS MÉDICOS
Adamantina, Votuporanga e Araçatuba já abriram vestibulares para os novos cursos de Medicina, conquistados no final do ano passado. Os processos seletivos ocorrem no meio do ano e as aulas começam no segundo semestre, sob coordenação da Vunesp. Enquanto isso, em Assis...

MAIS MÉDICOS II
Uma leva de cursos de Medicina foi autorizada pelo MEC em 2015 e já tem calendário de vestibulares homologado. Só pela Vunesp são, atualmente, 18 cursos ou com inscrições abertas ou com processo em andamento. As instituições que ainda no ano letivo de 2015 terão seus cursos em funcionamento são: FAI (Adamantina), Unifev (Votuporanga), Centro Universitário São Camilo, Unicid, Uninove, Univag, USCS (São Caetano), Faculdade das Américas, Famerp (Rio Preto) e Uni-FACEF (Franca).

MISTÉRIOS
Não estou mais nas redações, mas fico sabendo de acontecimentos relacionados a morte que me assustam. E quando procuro detalhes, no dia seguinte, não encontro uma reportagem sequer sobre tais fatos. Na semana passada, por exemplo, uma jovem e talentosa professora, formada recentemente pela Unesp, faleceu na cidade. Entre suspeitas por dengue, gripe e até meningite a menina passou por unidades hospitalares, via SUS. Está, hoje, na memória de colegas de universidade, ex-professores e alunos. A causa da morte: uma bactéria no cérebro.

NOTA DEZ
Para a concessionária Iremoc, revendedora Nissan localizada em Marília. Definitivamente, não são apenas as montadoras japonesas que estão revolucionando o mercado automobilístico brasileiro com veículos que saem de fábrica 'completos' se comparados aos nacionais; a qualidade do atendimento, ao menos na Iremoc, é anos-luz melhor em relação a todas as concessionárias de Assis, principalmente se comparado à péssima A-Tração Fiat. Saímos, pois, dos carros Fiat, aqui em casa, e colocamos na garagem um Nissan. Concretizado, pois, o que foi anunciado, in loco, na A-Tração, dois anos atrás: nunca mais compro um carro naquela péssima concessionária, que não faz jus à excelente montadora Fiat.

NOTA ZERO
Para a papelaria do Palimércio, onde entrei para comprar uma agenda comercial, esperei, acenei para as vendedoras, aguardei mais um pouco e, enfim, saí, dez minutos depois, sem a mercadoria necessária. Atendimento continua sendo o maior problema no comércio de Assis.

CARNE BRANCA
Nas idas e vindas a e de Marília passei, quinta-feira passada, no Makro. E lá encontrei coxa e sobrecoxa de frango a R$ 3,25 o quilo.

CONSTRUÇÃO
Nem Telhanorte, nem Casa Sol. A rede Casa & Construção é quem está aterrissando em Assis. Terreno em negociação e parte burocrática em andamento na Prefeitura.

FICAM
Entringer e Avícola Santa Amélia não sairão de Assis, ao contrário do que políticos mal informados têm especulado. Estão, sim, expandindo suas linhas de produção, implantando unidades em outras regiões.

DESLIZE
É comum ver equívocos de grafia em placas de beira de estrada anunciando venda de melancia. Mistério eterno dos linguistas, vendedores dessa fruta genuinamente brasileira a grafam como "melância". Mas, em Echaporã, um desses vendedores inovou. A placa que anuncia a venda da fruta, do lado direito da SP-333, assim grafa "melanc-ia". Na falta de espaço na placa, quem grafou separou a última sílaba ao meio, mas ao menos não colocou o acento circunflexo na sílaba "lan". Grafia incorreta, mas, em comunicação, o importante é que quem lê, entende.

SANTA PACIÊNCIA
Dia desses procurei, em Assis, uma engrenagem para churrasqueira giragril. Esse mecanismo é feito de material sintético e serve de ligação para acionamento entre o motor e o suporte dos espetos giratórios. Fui a uma série de estabelecimentos comerciais que revendem peças do gênero e, então, esses recomendaram que eu procurasse pela peça na Útil, na avenida Dom Antonio. Eu estava a pé, cumprindo minhas caminhadas de recuperação pós-cirurgia e como já era quase 18h00, optei por, aqui em casa, fazer uma ligação telefônica para a loja, perguntando sobre tal peça.

SANTA PACIÊNCIA II
Encontrei o telefone na internet e vi, no mesmo anúncio, que o horário de funcionamento vai até 19h00, ou seja, se tivesse um aceno positivo para a existência da peça, a buscaria na mesma hora. Fui atendido e um homem, ao ouvir minha descrição sobre a peça, passou para uma moça. Descrevi novamente que se tratava de uma engrenagem de 'plástico', ao que fui imediatamente interrompido. "Plástico, não, metal, meu senhor", disse a moça. Eu, então, reafirmei que, sim, era uma peça de plástico, acionada pela rosca sem fim que sai do motor. Ouvi, então, que era impossível haver engrenagem de plástico, pois a peça derreteria com o calor da churrasqueira. Agradeci pela atenção. Nessa quarta-feira, 15, deixei a peça encomendada em igual loja, mas em Marília, mais precisamente na Hirata. Lá, sim, quem vende esse tipo de artigo entende que a parte da giragril onde vai a engrenagem não é afetada diretamente pelo calor da churrasqueira.

                    IMAGEM DA SEMANA                    


IMAGEM É TUDO - Andar a pé é um tipo de atividade que permite, além de sair do sedentarismo e da dependência por transporte motorizado, observar detalhes que passam despercebidos aos olhos cotidianos. Talvez, como parte de minha reconhecida ignorância, eu só esteja percebendo agora, com a forçada permanência em Assis decorrente da recuperação da cirurgia cardíaca a que fui submetido em 13 de fevereiro, um detalhe que estampa muros e postes de vias muito ou pouco movimentadas da Sucupira do Vale. São cartazes feitos em papel A4 e que lembram o que fora feito com frequência nas décadas de 1980 e 1990, quando da divulgação de eventos principalmente relacionados a noites festivas, bailinhos, etc... Agora, os cartazes ganham criativos e críticos enunciados, despertando para a consciência quanto ao consumo de carne animal. São bovinos, aves, suínos e caprinos, com fotos estampadas sob o provocativo título de "procura-se". Não há quem o que assine a iniciativa. O que fica, com certeza, é o registro de mais uma iniciativa que se faz entender entre quem compreende direta e indiretamente a intenção comunicativa por trás da mensagem.

Nenhum comentário :