Jovem Pan Online - RSS

sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014

Tempo muda e pode vir chuva com granizo no final de semana

Cláudio Messias*

As movimentações das massas de ar seco, presente no Sudeste/Centro-oeste, úmido, vindo do Oceano Atlântico e da Amazônia, e polar, que sobe desde a Argentina, podem provocar uma repentina e drástica mudança climática a partir de amanhã na região de Assis. Alerta emitido agora pela manhã pelo Centro de Pesquisas e Estudos do Clima (CPTEC), do Inpe (Instituto de Pesquisas Espaciais) coloca a ampla área Sul/Sudeste/Centro-oeste em estado de alerta para o que pode ocorrer nas tardes de sábado e domingo. Há alto risco de trovoadas e queda de granizo em uma faixa que compreende a região de Assis.

O tempo começa a mudar na Sucupira do Vale a partir da noite dessa sexta-feira. Com o cessar de predomínio da massa de ar seco que desde 27 de janeiro estacionou sobre os Estados do bloco Sul/Sudeste/Centro-oeste, a nebulosidade aumenta e diminui, por exemplo, o impacto do índice de radiação solar em Assis. A umidade relativa do ar, por exemplo, que ontem atingiu piso de 32% nesse mesmo horário, agora, às 11h00, é de 43% na estação meteorológica local, mantida pela Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado. A temperatura também está dois graus mais baixa em relação ao mesmo horário de ontem: 30 graus.

Nas projeções feitas pelo CPTEC/Inpe, a partir de amanhã será formada uma faixa de umidade que se estenderá desde o Norte, na bacia Amazônica, até o Sul, de maneira que as umidades tropical e do oceano se encontrem exatamente sobre o Norte do Paraná e o Sudoeste de São Paulo, onde estão, entre outras cidades, Assis. Somado a isso, há uma massa de ar polar que avança desde o extremo Sul do continente, sobre a Argentina, podendo aproximar-se com o fim da massa de ar seco. Esse choque térmico provocado por três fenômenos distintos é que provoca estado de atenção.

As chuvas desse final de semana eram trabalhadas, dias atrás, como possíveis pelos sistemas de monitoramento por satélite. Falava-se em precipitação pluviométrica, ou seja, chuva, em torno de 10 milímetros. Com a proximidade da ocorrência do fenômeno aumentou a probabilidade de confirmação das chuvas, tendo em vista os indícios de formação do canal de umidade vinda da Amazônia. O comportamento das massas de ar nessa tarde de sexta-feira será determinante para prospecção do volume de chuva que tende a vir sábado e domingo.

A expectativa é que com a quebra do sistema de ar seco que tão drásticas consequências provocou à agricultura e às cidades nas últimas semanas haja contínuas formações de zonas de convergência com o Atlântico Sul, diminuindo o espaçamento entre as chuvas e provocando precipitações suficientes para o desenvolvimento vegetal final da safra de verão.

Imagens: CPTEC/Inpe


Animações feitas a partir de imagens de satélite mostram chuvas sábado e domingo na região



*Professor universitário, historiador e jornalista, é mestre e doutorando em Ciências da Comunicação pela ECA/USP.



Nenhum comentário :