Jovem Pan Online - RSS

sábado, 10 de janeiro de 2015

Prudente, Marília e Ourinhos acirram disputa 'per capita'; Assis despenca

Cláudio Messias*

Viver em Presidente Prudente e Marília continua sendo um excelente negócio. Emergente, a cidade de Ourinhos mostra-se um promissor centro para se viver. Já a cidade de Assis passa a figurar como o menos promissor dos centros urbanos entre as quatro regiões administrativas citadas. Os números são referentes às economias regionais levantadas pela Fundação Seade, tabuladas em 2014 e referentes ao exercício de 2012.

Ano passado, nesse mesmo levantamento, eu citei, aqui no Blog, a cidade de Bauru. Como trata-se de um centro cuja economia cresce desproporcionalmente se comparada a Assis, Marilia, Ourinhos e Prudente, entendo que os parâmetros devam ficar aqui nessa parte do extremo Oeste do Estado de São Paulo.

Somente no quesito produção agropecuária Assis não fica atrás das demais três cidades avaliadas pelo Seade. Em 2012 a cidade produziu R$ 40,2 milhões, ante R$ 22,7 milhões de Prudente. Ourinhos ficou na dianteira, com R$ 45,8 milhões, seguido por Marília, com R$ 39,2 milhões.

Sem um parque industrial que faça jus ao nome, Assis produziu R$ 241 milhões no setor em 2012. Marília, nesse aspecto, lidera, com R$ 638 milhões, ante R$ 488,1 milhões de Prudente e R$ 377,9 milhões de Ourinhos.

O setor de serviços dá a dianteira de produção de riquezas a Presidente Prudente. No exercício de 2012 a 'capital' do Vale do Paranapanema gerou R$ 3,5 bilhões, seguida de perto por Marília, com R$ 3,2 bilhões. Ourinhos girou R$ 2 bilhões e Assis, R$ 1,2 bilhão.

Prudente fez gerar, em 2012, R$ 540,7 milhões em impostos recolhidos. Marília produziu R$ 483,7 milhões, enquanto Ourinhos gerou, em tributos, 202,5 milhões. Assis, no período período, deu aos governos R$ 167,5 milhões em impostos.

O maior PIB entre as quatro localidades analisadas também fica em Prudente, com 4,8 bilhões em 2012. Marília, com R$ 4,5 bilhões, Ourinhos, com R$ 2,6 bilhões, e Assis, com R$ 1,7 bilhão, completam a lista.

A distribuição das riquezas entre quem produz e quem usufrui da produção mantém Ourinhos como a cidade que melhor agrega esses parâmetros. Lá, em média, um cidadão ganhou em média, no ano de 2012, R$ 25,4 mil. O segundo melhor PIB per capita naquele período foi de Prudente, com R$ 22,9 mil. Marília ficou com R$ 20,8 mil e Assis, com R$ 18,2 mil.





*Professor universitário, historiador e jornalista, é mestre e doutorando em Ciências da Comunicação pela ECA-USP.

Nenhum comentário :