Jovem Pan Online - RSS

quinta-feira, 13 de março de 2014

FISCALIZAÇÃO ELETRÔNICA - 13/MAR




AUSÊNCIA
Com o início do calendário acadêmico o blogueiro professor universitário tem de se sobrepor ao blogueiro jornalista e, assim, as postagens cá, nesse ambiente, ficam reduzidas, para não dizer escassas. Essa coluna, por exemplo, está em elaboração desde o dia 7 de março, sem, contudo, condições de editoração, revisão e fechamento. E a cada vez que o blogueiro entra no ambiente na tentativa de publicar o Fiscalização Eletrônica, um batalhão de novos dropes surge, exigindo parada, verificação de fontes e edição.

VISITA TARDIA
Informação corporativa divulgada pela média imprensa de Assis e região anunciou, na semana passada, que "prefeito e vice-prefeita visitam escola dentro do projeto "conhecendo a nossa cidade"". Tipo de visita que chega com dois anos de atraso. Fosse em 2012 e não só escolas, mas as instalações da cidade como um todo talvez não estivessem tão abandonadas como se encontram.

VISITA TARDIA II
Já que a ideia é visitar, que o prefeito advogado e a vice-prefeita médica deem uma passada, de vez em quando, no pronto socorro do Hospital Regional. Se forem, lá, por volta das 19 horas, verão que todos os funcionários trabalham direitinho, cumprem horário, só com uma exceção: os médicos. Ninguém precisou contar, pois fui testemunha ocular: nessa quinta, 6, levei minha tia, com complicações do diabetes, àquele PS. Aposentada pelo INSS, ela não tem condições de pagar plano de saúde. E aguardou 1 hora e 50 minutos, quase desmaiando, até que chegasse aos cuidados médicos.

VISITA TARDIA III
Cheguei com minha tia ao pronto socorro às 19h50 dessa noite de quinta, 6. Ela era o número 25 na fila. E quando identificamos quem era o número 24 soubemos, da própria paciente, que estava ali, sem atendimento, havia quase uma hora. O motivo: os dois médicos de plantão que saíram às 19 horas haviam ido, óbvio, embora, enquanto os substitutos demoraram 'um pouco' para chegar. Esse um pouquinho de tempo foi uma hora e 40 minutos, quando mais de 30 pessoas se acotovelavam, cada qual com sua enfermidade, na ânsia por atendimento.

VISITA TARDIA IV
Chamando de três em três, o funcionário do atendimento, que culpa nenhuma tinha pela demora, mediava a agonia daqueles que, como minha tia, realmente estavam passando mal. Precisou que houvesse acordo entre os próprios pacientes e acompanhantes para que minha tia entrasse ali por volta da vigésima chamada. Ela entrou, foi, sim, bem atendida e recebeu medicação, além de ser submetida ao um eletrocardiograma (pressão em 14/9 e coração em descompasso). A acompanhei até a chegada de minha prima, filha da paciente, que deslocara-se desde Paraguaçu. E quando saí deparei com a sala de espera do PS praticamente vazia.

VISITA TARDIA V
Tudo isso para dizer que a uma hora e 40 minutos de atraso dos dois médicos provocou o caos e gerou sensação de revolta entre as mais de 50 pessoas que esperavam pelo atendimento. Logo, prefeito e vice-prefeita seriam cobrados injustamente pelo transtorno, provocado por médicos que, sabemos, via de regra já nos fazem esperar até nas consultas pagas, quiçá em uma repartição pública. Deixará de ser injusto cobrá-los, prefeito e vice, a partir do momento em que, sabedores de que médicos, cujos salários são pagos conforme tabelas e em dia, não fazem a contraparte de chegar na hora contratada.

DESCOMPASSO
A ira sem fundamentos continua gerando generalizações nas redes sociais. Nos últimos dez dias houve quem só não desejasse a fome ao deputado Mauro Bragato, pelo fato de o mesmo ter convidado, formalmente, lideranças políticas para a primeira de futuras mobilizações visando à implantação de mais um curso de Medicina em Presidente Prudente. Na leitura dos habitantes dos arredores da Sucupira do Vale, Bragato estaria tirando o curso de Medicina de Assis e passando para Prudente. Tudo isso sob, claro, pedras daqueles que assim interpretaram.

DESCOMPASSO II
Como nem todos os mediadores desse tipo de informação procuram conhecer a realidade social e política da macrorregião denominada Vale do Paranapanema, desconhece-se que Bragato, desafeto do ex-deputado federal Paulo Lima, está, na realidade, amarrando mais uma estratégia política que, em consonância com os interesses do governador picolé-de-chuchu Geraldo Alckmin, tenta implantar um curso público de Medicina, complementar ao que a Unoeste, de cunho privado e da família Oliveira Lima, oferece há quase 20 anos.

DESCOMPASSO III
O curso de Medicina de Prudente, portanto, alinha interesses da base tucana do governo paulista, que há 6 anos encampou, na época do vampiresco ex-governador José Serra, o Hospital Regional daquela cidade. No cenário atual, o governo tucano, aliado de Bragato, mantém o Hospital Regional, antigo Hospital Universitário, usado pela família de Paulo Lima através do curso de Medicina. E na impossibilidade de a Unesp encampar o curso, a instituição privada Uniesp é que seria contemplada, projeto que se estende há mais de 5 anos.

DESCOMPASSO IV
Cabe lembrar que o curso de Medicina pleiteado por Assis independe de qualquer interferência política de Bragato, que é deputado estadual. A Fema é, até que se prove o contrário, a instituição contemplada com o projeto, resultado de articulações relacionadas ao programa Mais Médicos, do governo federal, e sob os auspícios políticos das bancadas federais do PT, lado totalmente oposto aos interesses tucanos do Vale do Paranapanema.

NOVIDADE
O que ninguém contava, nem mesmo as lideranças políticas regionais, era com uma novidade que pode vir direto de Brasília, sem o mínimo dedo de políticos de direita, esquerda, centro ou das nuvens. Agregado ao projeto do curso de Medicina estaria a vinda de um campus da Universidade Federal de São Paulo, a Unifesp. Cabe verificar.

FERA
Meu amigo e ex-companheiro de trabalho Roberto Cézar Pereira lançou nesse dia 12 de março, no Yara Clube, de Marília, a biografia autorizada "Neuri Cordeiro - Um Caipira Sonhador". A foto de capa é assinada por outro ex-companheiro de Jornal da Manhã, o competente palmeirense Edio Jr. No livro, Betão, que é santista, conta a trajetória desse ex-goleiro do Marília Atlético Clube e da Sociedade Esportiva Palmeiras. O evento teve início às 20 horas, com a presença do biografado, e as vendas R$ 15) devem iniciar ainda na semana que vem, na rede Tauste de Supermercados e demais livrarias.


FERA II
Neuri Cordeiro é um desses apaixonados pela bola que nunca se desvinculam do futebol. Segundo Betão, hoje o ex-goleiro apresenta dois programas ma TV fechada de Marília: "Bola na Trave" e "Bola & Viola", ambos no Canal 9, da NET.

AR PESADO
Acostumado a ser atendido com sorrisos e até mesmo brincadeiras na lotérica que fica no cruzamento entre a rua Orozimbo Leão de Carvalho e a avenida Marechal Deodoro, estranhei as condições em que clientes foram tratados na lotérica situada no Hiper Center Avenida Max na sexta-feira de carnaval. Primeiro, um idoso foi, na frente de todos, hostilizado e ignorado pelas atendentes, gerando revolta daqueles que encontravam-se à frente na fila e haviam gentilmente cedido lugar. Depois, quando chegou a vez minha e de meu filho, fomos informados da forma mais mal educada e grossa possível sobre o fato de uma casa lotérica não efetuar depósito de cheque em conta poupança da Caixa Econômica Federal, procedimento que desconhecíamos. Um motivo a mais para ir, sempre, à lotérica das proximidades do Mercadão.

MENOS, ELI, MENOS
Meu amigo Eli Elias empolgou quando, duas edições atrás, falou sobre o potencial formador da Unesp/Assis em seu semanário impresso Correio Assisense. Universitários partirem daqui para mais de 300 países é refazer o fatiamento de distribuição das Nações do planeta. Para a ONU, são 193 os países politicamente constituídos e reconhecidos atualmente, contabilizando, aí, Taiwan (requerida pela China) e o Vaticano, fincado na Itália. Faltariam 107 países.

MAIS, ELI, MAIS
O Correio Assisense é um periódico impresso que cada vez mais ganha espaço não só na leitura do assisense, mas na carteira comercial das empresas da cidade. De produção estritamente familiar, o jornal dos Elias carece de um pouco mais de revisão antes de ir para as gráficas do extinto Oeste Notícias, de Prudente. Faltam principalmente legendas nas fotos que ilustram as páginas assinadas pelo competente Eli Elias, por quem guardo eterno respeito profissional e a quem sempre agradecerei pela retaguarda no período em que juntos trabalhamos no histórico Voz da Terra.

BOCA NO TROMBONE
O radialista Nelinho Moraes, da rádio comunitária Cidade FM, faz a gestão de um interessante grupo de discussões no Facebook. Ele modera o Revolta Pública de Assis, canal em que são lançadas interessantes reclamações populares. E, claro, tem vereador que lá baixa e, em vez de buscar solução para as inúmeras e incessantes pautas, faz desnecessária auto-propaganda.

NO AR
O competente repórter de campo Carlos Perandré encontrou um espaço para praticar o que mais gosta: jornalismo esportivo de rádio. Está, desde o início de fevereiro, com horário na rádio comunitária Boas Novas FM, onde apresenta programa de entrevistas ao vivo e gravadas, das 17h30 às 18h00.

NO AR III
Perandré tenta desde o ano passado encontrar uma frequência onde consiga transmitir jogos do futebol profissional de Assis. Ex-Sistema Cultura de Comunicação, o jornalista esportivo que tem no currículo a lendária cobertura da final da Copa União, de 1987, entre Flamengo x Internacional, no Maracanã, chegou a negociar horário com emissoras como Difusora AM e Interativa FM, sem, contudo, chegar a um acordo sobre valores. Ele reclama do alto preço exigido pelas emissoras e argumenta que cotas de transmissão são vendidas para inserções esporádicas, a valores baixos.

ONLINE
A igualmente competente jornalista Bruna Fernandes tem em mãos, sob análise, projeto de um grupo de comunicadores de Assis interessado em cobrir jogos dentro e fora da cidade durante a disputa da Segunda Divisão do Campeonato Paulista. Seria a fase experimental de implantação de uma versão rádio online do portal Assiscity, o maior fenômeno de audiência dos últimos anos na imprensa regional.

CASA NOVA
O atacante Jaílton, que marcou 13 gols pelo Atlético Assisense  em 2013, se apresentou ao Fernandópolis para a disputa da Segundona. O jogador foi apresentado nessa quinta, fez exames médicos e está à disposição do também ex-Falcão do Vale Ademílson Venâncio. Ele iniciou a temporada 2014 defendendo o Taubaté, atualmente 14º colocado na Série A-3 e fora tanto da zona de classificação quanto do rebaixamento. Jaílton fez 2 gols nesse ano, vestindo a camisa do azulão do Vale do Paraíba.

CLAREZA
E por falar em Fernandópolis, o rival do Atlético Assisense nessa primeira fase da Segundona continua adotando a política da transparência. Fez, nessa semana, mais uma prestação pública de contas nas redes sociais. Em fan page no Facebook, declarou receita de R$ 11.544,00 e despesas de R$ 11.754, ou seja, saldo negativo. Em janeiro, o saldo negativo já havia sido de R$ 2.258.

CLAREZA II
As despesas declaradas pelo Fefecê em sua prestação de contas mostram que o clube adotou a política da austeridade quando o assunto é salário. Em 10 dias de trabalho honrados, os jogadores totalizaram folha de R$ 8.690 e a comissão técnica, de R$ 3.000. Tudo feito com os pés no chão e com licitude, o que é mais importante.

DIA DE TROUXA
Empolguei, por mais de uma hora, com o 'mais perfeito' golpe que já vi na internet. Fui vítima e trouxa, óbvio. Tudo envolveu o site Ingressos.com, utilizado indevidamente por uma quadrilha para roubar dados de clientes daquele serviço mediador de entradas. Utilizando a própria plataforma do Ingresso.com os marginais despacharam mensagem eletrônica aos clientes, informando sobre o sorteio de um par de ingressos para ver jogo da Seleção Brasileira na Copa do Mundo, em estádio a escolher. 

DIA DE TROUXA II
O golpe era tão perfeito que os três procedimentos de cadastro, usando a plataforma legítima do Ingresso.com, eram exatamente os mesmos que os usuários do serviço cumprem quando adquirem entradas para shows e demais tipos de espetáculo, por exemplo, nas grandes capitais. Meu anti-vírus, sempre atualizado, acusou o momento em que o software espião tentava instalar em meu computador, o que me fez suspeitar da operação e adiá-la. Horas depois, antes de retomar o processo, acessei o site oficial do Ingresso.com e lá estava um banner esclarecendo sobre a existência do golpe.

DIA DE TROUXA III
Saí ileso, sem contaminar meu computador nem prejudicar meus dados, mas confesso que cheguei a sentir o gosto de, com meu filho, ir ver o jogo do Brasil na inauguração do nosso Itaquerão. E em nada condeno a Ingresso.com, pois a empresa soube identificar o golpe e tomou providências imediatas, como, por exemplo, mudar o endereço de acesso, que a partir dessa quarta passou a ser www.novositeingresso.com, de maneira a desvirtuar o trajeto de fraude da quadrilha que, de fora do Brasil., está responsável por esse tipo de crime virtual.

 SERÁ? 
Soube de um tal vídeo que, circulando via redes sociais, mostraria um grupo de jovens praticando estupro não registrado em boletim de ocorrência pela vítima, uma suposta jovem embrigada em uma festa. Se for verdade, fica a certeza de que a Sucupira do Vale precisa, definitivamente, parar para repensar alguns preciosos detalhes relacionados à civilidade. Esse é o tipo de violência que demonstra uma coletividade sem controle.

SEMANA SANTA ANTECIPADA
Eduardo Camarguinho Neto tem demonstrado, nas redes sociais, ser profundo e frequente apreciador do Arlindo's Bar, nas proximidades do DER. O vereador, dentista e radialista, que foi meu primeiro chefe de jornalismo lá pelos idos de 1985, na Cultura AM/FM, fez consecutivas postagens de fotos do mais famoso prato servido por Arlindo, ou seja, o tradicional bolinho de bacalhau que o culinarista preparava e servia na época da Casa Portuguesa. Bom pai de família que é, Camarguinho, além de degustar os bolinhos no bar, também levava o aperitivo para compartilhar com esposa e filhos em casa. Bastou que eu fizesse uma brincadeira, em alusão a uma eventual e imaginária sociedade dele com Arlindo e, então, as postagens de fotos relacionadas ao assunto cessaram. Não, contudo, significando que o happy hour tenha acabado!

DESPEDIDA
Passados seis meses saiu, enfim, minha nomeação de professor auxiliar em uma Universidade Federal no Nordeste, mais precisamente na Paraíba. O concurso docente foi realizado em setembro do ano passado e tinha 30 candidatos de quase todas as regiões do país. Minha disciplina, Epistemologia da Educomunicação, está dentro do bacharelado em Comunicação Social, habilitação em Educomunicação, junto ao Departamento de Arte e Mídia daquela universidade, que forma a primeira turma do curso nesse primeiro semestre. A posse acontece em abril.

CÁ ENTRE NÓS...
... no universo do futebol, come-quieto faz estardalhaço?


IMAGEM DA SEMANA

PELAS BEIRADAS - A equipe que trabalha na manutenção do gramado do estádio Tonicão fez, nessa quinta-feira, a primeira poda da vegetação da espécie esmeralda. Havia 40 dias o gramado estava em repouso, depois da instalação dos serviços de drenagem, que molha a superfície ao menos três vezes ao dia. Mais de 5 mil litros de água buscam garantir a qualidade da grama, na expectativa de resolver um problema que afeta principalmente aos jogadores mais técnicos, que sempre reclamaram de dificuldade para dominar a bola no Tonicão. Como não havia tempo hábil para implantar a drenagem e substituir a grama, a Autarquia Municipal de Esportes de Assis manteve a espécie esmeralda, que é a mesma desde a inauguração do estádio, há mais de 20 anos. O teste definitivo desse tipo de grama é esperado para os meses que vão de junho a setembro, quando chove muito pouco na região, a umidade relativa do ar atinge índices mínimos e a esmeralda entra em processo natural de renovação (depois de soltar sementes, a planta seca as folhas mais velhas e mesmo com a umidificação artificial ganha a tonalidade marrom). Não está descartada, para 2015, a substituição por uma camada de grama mato-grosso.


      IMAGEM DA HISTÓRIA     

Foto: Lincoln de Oliveira Lima/Facebook

BOLA PRESA - Meu amigo Lincoln de Oliveira Lima postou, nas redes sociais, essa foto em que aparece com outro colega de polícia, mas da corporação da Civil, Luiz Ramão. Hoje na reserva da PM, Lincoln um dia já jogou futebol. E provou isso aos amigos revelando ter jogado futebol de salão pela equipe do 1º Colegial Noturno da escola Clybas, no ano de 1977. Diz Lincoln que aquele time, que tinha Ramão, Edmílson, Jaime, "Zé Larguinho" e João Lúcio Messias (nenhum parentesco com esse blogueiro, ao menos que saibamos), foi vice-campeão do torneio disputado. No comando, o lendário José André dos Santos, ex-vereador e santillista roxo. Ramão é o primeiro, em pé, à esquerda, com seu inconfundível semblante, imediatamente ao lado da versão "sim, um dia eu tive cabelo" de Lincoln, com uma seta em vermelho sobre a farta cabeleira.

Um comentário :

Sérgio N. Stampar disse...

Olá Messias, você sabe de mais algo sobre a possível vinda da UNIFESP para Assis?? Parabéns pela sua nova posição na federal da Paraíba. Abraços