Jovem Pan Online - RSS

quarta-feira, 19 de março de 2014

Federação formaliza a clubes e IMPRENSA a exclusão do Vocem da Segundona

Cláudio Messias*

Aos poucos a Federação Paulista de Futebol elimina os últimos registros formais do Vocem na Segunda Divisão do Campeonato Paulista de 2014. Depois de, no dia 12 de março, a instituição ter alterado o regulamento da competição e oficializado a disputa do certame com 38 agremiações, sem o Vila Operária Clube Esporte Mariano, e, concomitantemente, retirado todo tipo de informação alusiva ao clube de seu site, nessa segunda-feira foi emitido nota a todos os clubes, árbitros e   IMPRENSA   informando a alteração na tabela de jogos, cujo pontapé inicial está agendado para 5 de abril. Na nova tabela, o Vocem deixa de figurar, de maneira que no status das partidas há a especificação "jogo cancelado".

As formalizações procedidas pela Federação nos últimos dias finalizam toda a polêmica que gira em torno de especulações segundo as quais o Vocem ainda conseguiria reverter a situação e disputar a Segundona. Dirigentes da atual equipe gestora que está à frente do clube definiram, nas redes sociais, postagem desse Blog, feita ontem, como atrasada, desatualizada, quando da divulgação de que as alterações no Regulamento do torneio excluíam a agremiação de Assis. No mesmo dia, contudo, a formalização da alteração da tabela, feita pela Federação, mostrou que precipitada, desatualizada e sem contexto eram as intenções desses gestores por insistir no erro de não entender que não há filiação nem inscrição do Vocem no certame de 2014.

No discurso de afronta à versão que publiquei ontem estavam jornalistas de Assis que, desconhecedores dos bastidores da Federação, acreditaram no discurso de que a decisão judicial da última segunda-feira, no Fórum de Assis, dava garantia de filiação ao Vocem. No mesmo dia em que eram postadas, nas redes sociais, versões em PDF da decisão judicial, a Federação comunicava aos clubes e, por conseguinte, ao próprio Vocem, sobre aquela que tende a ser a última providência de sua exclusão do torneio de 2014. E tudo isso, posso garantir, sem qualquer tipo de articulação que parta de outro clube que está na disputa da mesma competição. Logo, não houve cumprimento de prazos, a tolerância dada pela Federação venceu e, com isso, vai para a disputa quem atendeu aos pré-requisitos que são iguais a todos. E ponto.

Já vi de tudo nesse universo do futebol e não me surpreenderia se até 6 de abril muita coisa venha a mudar e, de repente, o Vocem entre em campo para receber, no Tonicão, ao Presidente Prudente. Difícil, também, seria acreditar que a diretoria do clube Prudentino aceitaria saber, ontem, que não precisaria viajar no dia 6 para Assis e, daqui a alguns dias, em cima da hora, saber que isso seja revisto e a delegação daquele time tenha de vir cá, jogar contra quem até então estava desfiliado, não inscrito e excluído do certame. O futebol, eu diria, perderia seu sentido tácito naquele que é o maior campeonato regional do planeta, no país-sede da Copa do Mundo de 2014. Copa do Mundo, por sinal, que tende a ser aberta sob os auspícios gestores daquele que hoje preside a Federação Paulista de Futebol, qual seja, o advogado Marco Polo Del Nero.

Fui ofendido e até ameaçado nessas últimas semanas, conforme os comentários postados e depois excluídos, que puderam ser testemunhados por alguns cá, no Blog. Não aceito encabeçar a turma "dos contra", pois procurei ser neutro ao máximo na cobertura desse evento e jamais neguei que fosse dada a versão dos "a favor". Só que ninguém nunca me procurou para falar do contrário. Não sou mais ou menos amigo de dirigentes de Vocem ou Atlético Assisense. E se os dois times disputassem a Segundona desse ano admito que seria algo interessante para a cidade, para o futebol. Só que, agora está claro isso, os trâmites que levaram à filiação/inscrição do Esquadrão da Fé perpassaram por caminhos não muito adequados, tornando-se pauta de decisões judiciais e iniciando uma guerra de bastidores nojenta e indecente. Pessoas foram ofendidas, honras foram ameaçadas e, ao que parece, prevaleceu o cumprimento às formalidades. Hoje, nesse momento, no status da Federação na internet, o Vocem está fora. E não fui eu, nem os dirigentes de times rivais, que criamos essa situação. Uma parte cometeu erros, precisa assumi-los e vir a público esclarecer os porquês de tudo não ter dado certo. Ficar soltando desafios, taxando blogueiro de desatualizado mas em contrapartida não apresentando, passo a passo, todos os trâmites que levaram a Federação ao ponto de excluir um clube de um certame, é fácil. Quero ver jogar provas à mesa e o bater de mãos ao peito para afirmar: "sim, eu errei e o maior prejudicado é o nome histórico do Vocem, junto com todos os torcedores que até ontem acreditavam que a situação seria revertida porque eu insisti no erro e não admiti". Tenho dúvidas de que surgirá esse alguém.

Mas, que siga o jogo das baixarias e da busca por culpados, pois isso é o que vislumbro a partir de agora. Vão dizer que foi o prefeito, o parente do prefeito, o advogado que tem o mesmo sobrenome do prefeito, enfim, que foi o outro time da cidade que armou tudo, menos assumir a culpa pelo que começou errado. Só que, tudo bem, isso apenas confirmará o nível de alguns grupos que fazem da história de Assis um eterno retorno. Fazer a gestão do futebol profissional de Assis nunca foi fácil, e são episódios como esse que desanimam comerciantes mais sérios de colocar seu suado dinheiro em uma arena de tensões em que prevalece a baixaria e até mesmo a ameaça. A cidade dos coronéis não aceita a derrota, ainda mais quando perde por culpa própria. Dejetos e vômitos são lançados sobre quem não tem culpa, numa forma indecente de justificar um erro ocultado pela própria incompetência. Volte, raro e exceto leitor, duas ou três décadas no passado, reveja a história de Assis e entenda do que estou falando. Essa história é cíclica, e não linear.

De minha parte, encerro aqui as postagens relacionadas ao Vocem. Sou da época em que se fazia jornalismo a partir de fontes primárias. E minha fonte primária, a Federação Paulista de Futebol, mostra-me o Vocem fora da disputa, com documentos que provam e comprovam o que escrevo. Se for para vir aqui e alimentar especulações, prefiro encerrar o Blog. E isso basta. Como torcedor vocemista que sou, lamento. Mas, tendo assistido a tudo que vi e não relato, cá no Blog, exatamente tudo, só tenho a dizer que a cidade deve unir-se para que tenha um representante na Série A-3 de 2015. Agora, nesse momento, só temos um clube. Doa a quem doer.

Alguém, nesse momento, vive em uma realidade paralela, em um mundo do faz de contas, onde prevalece o conto de fadas. E, pior, arrebanha uma multidão que, movida pela fé em um esquadrão histórico, fica cega o suficiente para desprezar os fatos e confiar no que a boca diz pra fora. De minha parte, prevalece o formal, o palpável, que é exatamente o que a Federação Paulista de Futebol divulga, como na imagem abaixo, despachada nessa segunda-feira a clubes, árbitros e... IMPRENSA. Sou jornalista, tenho meu capital simbólico denominado credibilidade e não admito, em hipótese alguma, ser questionado por quem, até o momento, não mostrou competência para tal.

E encerro, por fim, minhas menções ao Vocem. Que o clube, no futuro, seja abençoado pelo falecido Aloisio Bellini, seu fundador, para que seja reativado por outras mãos que não as atuais, pois esconder a verdade não coincide, muito, com uma agremiação popularmente denominada Esquadrão da Fé. E que agora, com a Justiça nomeando o gestor administrativo Rodrigo Vela, o mesmo responda formalmente, na outra vertente da Justiça, a Trabalhista, às pendências decorrentes dos últimos 12 anos, uma vez que foi assumidamente gestor, em conselho, até 2002, reivindicou isso via Fórum, ganhou a causa na última segunda-feira e mostra-se apto a cobrir todas as pendências em nome da agremiação existentes. Qualquer plano para 2015, imagino, terá de perpassar por esse caminho de acerto de pendências, no terreno da Justiça, o mesmo ocorrendo com qualquer intenção de desfazer daquilo assumido na ação que estourou ainda anteontem no Fórum de Assis. Foi fácil entrar nessa briga judicial. Sair dela, aparentemente, carecerá de mais alguns capítulos. E como isso foge do universo do futebol, meu basta na cobertura mariana cá se encerra.


Imagem: Reprodução/Federação Paulista de Futebol

Documento emitido nessa segunda-feira, 18, confirmando a 
decisão de 12 de março: Vocem excluído da Segunda Divisão

*Professor universitário, historiador e jornalista, é mestre e doutorando em Ciências da Comunicação na ECA/USP.

3 comentários :

Anônimo disse...

pq o vocem ainda treina e esta contratando?

Anônimo disse...

Força Messias
A culpa é sempre do outro. Nunca dos responsáveis.

Anônimo disse...

GRÊMIO PRUDENTE 5 X assisense 0, pode esperar !!!!!