Jovem Pan Online - RSS

sábado, 26 de setembro de 2015

SEGUNDONA BRAVA - Taboão vence Jabaquara e 'embola' o Grupo 5

Cláudio Messias*

Há detalhes que fazem do futebol um esporte único, se é que existe algum esporte que não seja único. Uma semana depois de vir a Assis e praticamente tirar da tomada do carregador de baterias que abastece os aparelhos a que se resumem as chances de classificação do Atlético Assisense na Segundona 2015, o Jabaquara vê suas próprias chances de avançar para a Série A-3, de 2016, igualmente resumidas ao mesmo milagre que precisa baixar sobre o Falcão do Vale.

Nessa tarde de sábado o Taboão da Serra voltou a jogar no estádio Vereador José Ferez, sua casa, depois de cumprir perda de mando de dois jogos, imposta pelo TJD. Recebeu o embalado Jabaquara e não fez conta do visitante santista que queria entrar na disputa por lugar no G-2 da chave. Vitória magra, por 1x0, gol de Rodrigo aos 40 minutos iniciais. Resultado, porém, que manda o Taboão para a terceira colocação, com os mesmos 8 pontos do Olímpia, vice-líder. O time de Olímpia leva vantagem no saldo de gols e entra em campo, amanhã, recebendo o quarto colocado Grêmio Prudente.

A derrota deixa o Jabaquara em situação delicada. O time de Santos estaciona nos 5 pontos e vê pelo menos dois adversários diretos pela segunda vaga da chave abrindo, no mínimo, 3 pontos de frente. Nessa conta, o Taboão já tem 8 pontos e 4 jogos restantes. O Olímpia, que recebe o Grêmio Prudente, tem esses 8 pontos e pode ir a 11, tornando ainda mais díspar a relação entre as campanhas desenvolvidas nessa abertura de returno. Resultado que interessa a quem está na parte de baixo da tábua de classificação é de empate entre Olímpia e Grêmio.

O fechamento da rodada ocorrerá com o jogo São Carlos x Atlético Assisense, nesse domingo, às 10 horas. O time de Assis tem dois fatores que, adversos, custam-lhe o projeto de 2015. Na ordem natural das coisas, a tendência é que o São Carlos, líder do Grupo 5, repita o desempenho do primeiro turno (placar de 2x0, no Tonicão), vença e dependa, a partir de então, de uma vitória e um empate para festejar a vaga na Série A-3. O outro fator, inverso, é que uma vitória em São Carlos representará a retomada do sonho, uma vez que há todo um returno pela frente e pode, sim, haver reação do Falcão do Vale.

Na Primeira Fase o Atlético Assisense soube aproveitar as oportunidades que surgiram. Tirou pontos importantes, por exemplo, de adversários mais badalados, como Vocem, Noroeste e Grêmio Prudente, o que rendeu classificação antecipada para a fase atual. Nesse domingo, caso volte a ser o Falcão do Vale da Primeira Fase e devolva a derrota ao São Carlos, provocará uma confusão que ora beneficia, ora prejudica os cálculos de quem já estava encomendando o chope para a festa. É bom que se ressalte, agora, que o São Carlos, apesar de somar 13 pontos e liderar com 5 pontos de folga em relação ao Olímpia, pode ver essa diferença cair para 2 pontos em eventual tropeço, em casa, na abertura do returno, desde que o time de Olímpia derrote do Grêmio Prudente na mesma rodada.

Aos comandados de Carlos Alberto Seixas não resta outra estratégia a não ser fazer de cada um dos 5 jogos do returno um desafio em separado. O primeiro desafio é vencer o São Carlos e, depois, parar o embalado Taboão da Serra, na semana que vem, em Assis. São 5 jogos e a necessidade de 5 vitórias, o que garantiria, matematicamente, a classificação. Os mais céticos podem entender isso como improvável, mas, basta analisar a campanha do próprio São Carlos, que em 5 jogos no primeiro turno venceu 4 e empatou 1 para, na soma geral, abrir 5 pontos de vantagem na ponta.

Atlético Assisense com oportunidade de tirar pontos dos algozes diretos do primeiro turno. Seria, sem dúvida, uma das maiores reviravoltas da história das divisões de acesso do Campeonato Paulista. Para um clube que pela terceira temporada consecutiva avança de fase é a confirmação de que o caminho, sólido, está traçado. Falcão do Vale já fez, novamente, história. Chegou onde chegou sem apoio político e calando aqueles que, com a mão no bolso, secaram mas tiveram de engolir choro e sapo ao mesmo tempo.

Amanhã, ao meio-dia, o resultado final em São Carlos representará o resgate do sonho ou a despedida matemática do sonho do acesso. Seja qual for o placar, a realidade maior é que valeu, sim, a pena torcer pelo time que tem as cores oficiais da cidade, voltou a bater os próprios recordes de público no Tonicão e hoje tem cadeira na condição de um dos 12 melhores times da Segundona 2015. Um clube equilibrado, com política de gestão pés no chão e que, com certeza, caso não dê para classificar, já deixa clara a expectativa de que em 2016 o trabalho, reestruturado, nos dará, no mínimo, as mesmas alegrias de 2015. E, convenhamos, a essa altura do campeonato, olhando para o retrospecto da temporada, nós, torcedores do Clube Atlético Assisense, temos muito mais a comemorar do que a lamentar. Os anti que continuem mordendo-se, pois restam-lhes, apenas, opções de visitar as postagens sobre o rival e, de forma desequilibrada, esbravejar.

* Professor universitário, historiador e jornalista, é mestre e doutorando em Ciências da Comunicação perla ECA-USP.


Nenhum comentário :