Jovem Pan Online - RSS

segunda-feira, 9 de junho de 2014

TJD pune Osvaldo Cruz e coloca Atlético Assisense na Segunda Fase

Cláudio Messias*

Não foi na bola, mas está no regulamento. Na noite dessa segunda-feira o Tribunal de Justiça Desportiva da Federação Paulista de Futebol puniu a má gestão e fez prevalecer o trabalho lícito na Segunda Divisão do Campeonato Paulista. Lição de moral àqueles dirigentes que fazem da falcatrua o atalho para disputar torneios de futebol profissional. Recado dado.

A agremiação punida na décima sétima sessão do TJD paulista é o Osvaldo Cruz. O clube, que dentro de campo conquistou vaga na Segunda Fase da Segundona 2014, atuou com jogador irregular em duas partidas no primeiro turno. Perdeu 6 pontos, caiu para 8 pontos no total e ficou em penúltimo lugar no grupo 1, à frente somente do Presidente Prudente, clube que o denunciou e que com a bola rolando também não teve a mesma competência do eliminado.

Com a perda de pontos do Osvaldo Cruz o Atlético Assisense está classificado para a Segunda Fase. O clube de Assis não fez sua parte dentro do gramado, ficando 1 ponto atrás de Osvaldo Cruz e Vocem no grupo 1. Mas, em contrapartida, desde janeiro mostra-se regularmente lícito na Federação e, assim, soma méritos para não temer punições como a que eliminou o Osvaldo Cruz do certame.

Uma modificação, contudo, é feita na distribuição dos grupos divulgada ontem pela Federação Paulista de Futebol. É que com 14 pontos o Osvaldo Cruz era o segundo melhor quarto colocado entre os três clubes que, no desempate por critérios técnicos, garantiram, na gaita, vaga numa espécie de repescagem entre os menores piores. O Atlético Assisense classifica-se como terceiro melhor quarto colocado e, assim, passa a figurar o grupo 8, junto com Grêmio Prudente, Mauaense e Taboão da Serra. O São Bernardo, que estava nessa chave, foi para o grupo 13 com as alterações saídas do TJD.

Em uma atitude de total incoerência o mesmo Tribunal que puniu o Osvaldo Cruz com a perda de 6 pontos livrou de punição os responsáveis pela falcatrua que levou a agremiação à vexamitosa situação de ser eliminada da Segunda Fase. No despacho dessa noite de segunda o TJD enquadrou o clube no artigo 214, porém desconsiderou os elementos formais que fundamentam tal acusação, quais sejam, os enquadramentos do presidente Válter Zaparolli, o técnico da equipe no primeiro turno, Carlos Pinoza, e o atleta Eduardo Vinícius Silva Nunes, absolvidos nos artigos 220-II e III, 220-II e 236, respectivamente. Na minha leitura, é como condenar um réu por homicídio porém livrá-lo de culpabilidade pela morte que provocou. Sinceramente, não entendi essa dos senhores membros do TJD que, por sinal, desde a semana passada têm surpreendido com decisões de não acolhimento a denúncias que, de minha parte, deixam-me ainda mais decepcionado e frustrado com esse torneio da Segundona 2014, errado, em todos os sentidos da licitude, desde o final de janeiro.

Não fico em cima do muro em situações como a que envolveu o TJD na noite dessa segunda-feira. Inegável que Assis ter dois clubes na sequência da Segundona traz mais combustível para a rivalidade já existente nessa Sucupira do Vale esvairada. Mas, a partir de agora, aquele gosto especial pelo futebol justo perdeu, a meu ver, o sentido totalizado da paixão pelo futebol. Não comento e ignoro qualquer pauta relacionada ao outro clube da cidade, dada a baixaria rolou em meados de janeiro e fevereiro nos sujos bastidores do futebol profissional do Estado de São Paulo. E agora o que vejo é o clube pelo qual optei por torcer chegando à Segunda Fase mediante a desgraça alheia. Não fosse o choro do Osvaldo Cruz não haveria sorriso estampado no rosto do Atlético Assisense. Eu, torcedor, prefiro não ter esse sorriso amarelo.

Que esse susto tenha servido de exemplo para a diretoria do Atlético Assisense, que sabe muito bem do que estou falando aqui, nessas linhas. Teve comportamento amador em alguns momentos dessa temporada. Aliás, acho que nem no futebol varziano teríamos um clube que recaísse o erro terciário de produzir ingressos 'brancos' à margem do que estabelecem os contratos assinados com a Federação. Isso não foi propagado em Assis, mas sabe-se que por quebra de contrato o Falcão do Vale poderia ter sido desfiliado e recebido punições extremamente severas no mesmo TJD, na semana passada. Ficou no lucro, se é que R$ 3 mil de multa para um clube que deve, e muito, podem ser entendidos como lucro.

Apoio o Atlético Assisense e continuo torcendo para esse que é o meu clube em Assis. Porém, espero um mínimo de profissionalismo dos gestores que estão à frente desse brasão há mais de 10 anos e que se perpetuam em um cargo que, a meu ver, já poderia ter sido passado adiante. Se nem a vida é eterna, quiçá um caro gestor. E isso não é recado. É afirmação de um torcedor que veste a camisa de um time, e não de pessoas que estão na gestão. Quero, daqui a 10 anos, ser o torcedor que verá o Atlético Assisense em outra divisão, que não essa Segundona, mas com outras caras no comando. Porque clube é dedo, gestor é anel.

Grupo 8
Col
Equipe
TP
J
AJ
V
E
D
GP
GC
SG
VP
DP
CA
CV
TF
u
Grêmio Prudente
0
0
6
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
u
Mauaense
0
0
6
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
u
Taboão da Serra
0
0
6
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
u
AtléticoAssisense
0
0
6
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
TP – Total de pontos; J – Jogos; AJ – A jogar; V – Vitórias; E – Empates; D – Derrotas; GP – Gols Pró;
GC – Gols Contra; SG – Saldo de Gols; VP – Vitórias por Pênalti; DP – Derrota por pênaltis;
CA – Cartões Amarelos; CV – Cartões Vermelhos; TF – Total de Faltas
  Atualização: 09JUN2014 – 21h07        
Blog do Messias                               www.claudiomessias.blogspot.com.br

*Professor universitário, historiador e jornalista, é mestre e doutorando em Ciências da Comunicação pela ECA/USP.


Um comentário :

Agenor Silva disse...

Foi feito justiça ao futebol apresentado pelo Assisense. O time vem jogando bem mas levando azar nas finalizações. Esperamos que a diretoria resolva as pendências financeiras para dar tranquilidade ao time e acredito que se o VOCEM não se reforçar, mesmo com todos os problemas, o Assisense irá mais longe.