Jovem Pan Online - RSS

terça-feira, 3 de junho de 2014

TJD adia decisão sobre punição ao Osvaldo Cruz

Cláudio Messias*

Os clubes que não fizeram o dever de casa em 9 rodadas pela Segunda Divisão do Campeonato Paulista de 2014 vão ter de esperar mais uma semana para saber, no tapetão, quem, além do Grêmio Prudente, passará para a Segunda Fase do torneio, no grupo 1. Tudo isso porque o Tribunal de Justiça Desportiva da Federação Paulista de Futebol decidiu adiar para o dia 9 de junho a análise conjuntural de uma série de denúncias que tem surgido entre as 39 agremiações que disputam a Segundona. Ou seja, quem não teve competência ou suficiência de, dentro de campo ou na gestão administrativa de seus clubes, agora recorre além da bola para pelo menos chegar à próxima fase, sabedores que são de que além disso dificilmente irão.

Na ata dessa segunda-feira o TJD aplicou, somente, sanções a Matonense e Ferroviária, pelo torneio Sub-20, e ao Marília, pelo Sub-17.

Ontem, em São Paulo, o fato novo nessa onda de denúncias por supostas irregularidade respingou pela primeira vez sobre Assis. O foco era o Osvaldo Cruz, que por ter escalado jogador irregular por duas vezes, no primeiro turno, iria a julgamento no TJD, com a certeza de que perderá ao menos 3 pontos nessa pândega toda. Mas, na seção de protocolos do Tribunal, surgiram apresentações formais de reclamações contra outras agremiações. As citações dos clubes denunciados deve ocorrer até amanhã, mas é conhecido que há contestações sobre duas situações que envolvem o Vocem. Uma delas condiz ao registro do clube enquanto pessoa jurídica, ou seja, remete àquele imbróglio até hoje não totalmente esclarecido sobre a filiação/inscrição do clube na Federação para a disputa da Segundona. Hoje, o clube de Assis disputa a competição mediante liminar obtida na Justiça comum, ou seja, em caráter jurídico temporário, passível de julgamento da ação definitiva.

A outra situação em que o Vocem pode estar sendo citado no TJD é relacionada à inscrição de um jogador no primeiro jogo contra o Presidente Presidente, na rodada inaugural da Segundona. O atleta aparece, naquele jogo, com um número de inscrição e, nas demais partidas, com outra inscrição, essa, sim, encontrada nas informações protocolares da Federação. Somente nessa situação o Vocem perderia pontos, ainda assim totalizando somente os 3 pontos daquele confronto, uma vez que venceu por 2x0. Perderia os pontos e os gols marcados, o que tornaria sua passagem para Segunda Fase possível, somente, mediante cruzamento de uma série de combinações de resultados, podendo ficar em 5.o lugar no grupo 1, assim, fora da zona de acesso à Segunda Fase.

Essas, no entanto, são possibilidades aventadas no TJD e suas formalidades dependem da citação protocolar que o Tribunal fará aos clubes para que preparem suas defesas. É possível, porém, que a decisão dos membros do Tribual ocorra somente daqui a duas ou três semanas, pois há prazos legais que podem ser reclamados pelos denunciados para juntar provas de defesa.

Na bola - Enquanto os homens de terno do TJD não decidem, sob ar condicionado, as presepadas que clubes da Segundona protagonizam fora de campo, nas quatro linhas há expectativa geral sobre a última rodada do torneio. Os 18 jogos acontecem no domingo que vem, todos às 10 horas, e reservam surpresas. Ainda há 12 vagas em aberto, sendo 10 de classificados diretos como primeiros, segundos e terceiros colocados por chave e dois como quartos melhores colocados por índice técnico. Ou seja, somente metade das 24 vagas da Segunda Fase, que começa depois da Copa do Mundo, já tem donos, o que faz do certame de 2014 um dos mais disputados e equilibrados dos últimos anos.

Sem TJD o Vocem está classificado. Digo isso porque somente um cruzamento diabólico de resultados de clubes de outras chaves, que teriam de aplicar goleadas sonoras sobre rivais que lideram seus grupos, os fariam passam à frente, no desempate técnico em relação ao time de Assis que retornou ao futebol profissional em 2014. Para o Vocem, basta empatar com o Osvaldo Cruz, no estádio Breno Ribeiro do Val, para que ambas as equipes atinjam 14 pontos e estejam indiscutivelmente, na bola, na Segunda Fase. Ressalto, porém, que em ambos os casos, mesmo com derrota nesse confronto o perdedor ainda poderá carimbar, na bola, a classificação.

Para os lados do Atlético Assisense as coisas são um pouco mais complicadas. O time do técnico Tupãzinho precisa confirmar o favoritismo e vencer o Presidente Prudente, no Tonicão. Como tem saldo negativo de 4 gols, o ideal é fazer essa diferença para zerar esse fator que serve de desempate para eventual cruzamento com adversários de outros grupos. Se empatar, está fora, independentemente de TJD. E mesmo que vença o PPFC pelos 4x0 ideais, dependerá de uma vitória do Grêmio Prudente sobre o Bandeirante, confronto marcado para o Prudentão. Ordem das coisas no lugar, Assisense vence o Presidente Prudente, Grêmio bate o Bandeirante, Falcão do Vale classificado independentemente do resultado entre Osvaldo Cruz x Vocem, pois o Bandeirante é quem sai eliminado, caindo para quinto.

Com a eventual perda de pontos do Osvaldo Cruz o cenário muda bastante. De empate camarada em Osvaldo Cruz o confronto entre o time local e o Vocem precisará ter um vencedor. É que no tapetão as duas equipes cairiam, hoje, para os mesmos 10 pontos do Atlético Assisense. E se empatarem somam somente 11 pontos na última rodada, fazendo com que o grupo 1 não classifique quarto colocado. Nesse cenário de suposição, de qualquer maneira o Atlético Assisense precisa vencer o Presidente Prudente, enquanto o Bandeirante, sim, poderia empatar com o Grêmio.


*Professor universitário, historiador e jornalista, é mestre e doutorando em Ciências da Comunicação pela ECA/USP.

Um comentário :

Assis sp disse...

Concordo que campeonato se ganha dentro do campo ! Mas times que tem a diretoria incopetente tem que ser punido, esse caso do osvaldo cruz e um absurso, o que eles fizeram foi querer enganar trapacear , o jogo se ganha no campo na bola, mais quando e uma safadeza dessa uma incopetencia sem tamanho, tem que ser punido sim!